Publicidade

Estado de Minas VEíCULOS| LANçAMENTO

Vida nova para o EcoSport

Além do novíssimo motor de três cilindros, o SUV compacto da Ford passou por uma intensa e detalhada intervenção


postado em 26/07/2017 08:54 / atualizado em 26/07/2017 09:30

RECIFE (PE) – Bem mais completo em termos de conteúdo e acabamento, a Ford lança agora o novo EcoSport 2018. A principal novidade está, no entanto, sob o capô das versões de entrada, que, agora, abrigam o motor 1.5 de três cilindros, que desenvolve potência de 137 cv. O Brasil é o primeiro dos 140 países onde o EcoSport é vendido a utilizar o novo propulsor.

O novo EcoSport chega em agosto ao mercado brasileiro com a oferta de diversas tecnologias embarcadas, conectividade SYNC 3, motores 2.0 Direct Flex (176 cv) com injeção direta e o inédito 1.5 TiVCT Flex de três cilindros e transmissão manual ou automática de seis velocidades. O consumo de combustível anunciado para a versão com motor 1.5 e câmbio automático é de 7,1 km/l com etanol e 10,4 km/l com gasolina na cidade. Na estrada é de 8,9 km/l e 12,8 km/l respectivamente.

A nova 2018 do SUV compacto da Ford chega nas versões SE, FreeStyle e Titanium. Os novos preços sugeridos são "praticamente sem aumento à linha anterior", destacou a montadora. A linha parte de R$ 73.990 na versão SE manual, e R.990 na automática. O EcoSport FreeStyle sai por R.490 com câmbio manual e R.490 com o automático. A versão Titanium custa R$ 93.990.

O novo EcoSport será produzido em seis fábricas ao redor do mundo, a começar pelo Brasil, e está previsto para mais de 140 mercados globais. Outro marco do modelo é que será comercializado pela primeira vez também nos Estados Unidos e Canadá, com previsão de chegada àqueles mercados em janeiro de 2018. Nos Estados Unidos, o EcoSport é oferecido sem o pneu sobressalente preso à porta e terá a versão de entrada equipada com o motor 1.0 Ecoboost. No Brasil, clínicas feitas com clientes do SUV compacto da Ford indicaram que a maioria aprova a roda sobressalente destacada na porta traseira e não gostariam de ter um carro equipado apenas com o fluído de reparo de pneus furados, informa Antonio Baltar Jr, diretor de marketing da Ford Brasil. No EcoSport não há espaço para colocar o estepe no interior do carro, explica o executivo.

(foto: Pedro Bicudo/Ford/Divulgação)
(foto: Pedro Bicudo/Ford/Divulgação)

Evolução

O EcoSport evoluiu em todos os sentidos. Destaque para os sete airbags, sistema multimídia SYNC 3 com tela capacitiva, controle de estabilidade com novo sistema anticapotamento, monitoramento de pressão dos pneus e grade frontal com controle ativo, todos itens de série.

A versão Titanium tem novo teto solar elétrico, faróis de xenon com luz diurna de LED e acendimento automático, alerta de ponto cego, acesso ao veículo sem chave com reconhecimento capacitivo, partida por botão, ar-condicionado automático digital, computador de bordo com tela de 4,2" no painel, câmera de ré, porta-malas com sistema inteligente de bagagem, sensor de chuva e som premium da Sony com nove alto-falantes.
(foto: Pedro Bicudo/Ford/Divulgação)
(foto: Pedro Bicudo/Ford/Divulgação)

Em todas as versões, o interior foi renovado e os bancos reprojetados oferecem mais conforto. Painel "soft touch", bancos ergonômicos, volante multifuncional com trocas "Paddle Shift" nas versões automáticas, console central com descansa-braço e um total de 20 porta-objetos, incluindo porta-luvas climatizado, porta-óculos no teto e nichos para celular, contribuem para dar mais sofisticação ao veículo.

Outro avanço foi na tecnologia de manufatura com investimentos feitos na linha de montagem da fábrica de Camaçari, na Bahia. Além da instalação de mais 22 robôs na área da carroceria, as novidades incluem um sistema a laser de precisão para a furação da parte dianteira da carroceria – a mesma utilizada na produção do Mustang.

Depois de reinar sozinho no segmento dos SUVs compactos por 10 anos, o EcoSport, que teve sua primeira edição apresentada em 2003, chega em 2018 com sete concorrentes diretos: o Jeep Renegade, Hyundai Creta, Nissan Kicks, Renault Captur, Renault Duster, GM Tracker.
(foto: Pedro Bicudo/Ford/Divulgação)
(foto: Pedro Bicudo/Ford/Divulgação)
(foto: Pedro Bicudo/Ford/Divulgação)
(foto: Pedro Bicudo/Ford/Divulgação)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade