Publicidade

Estado de Minas ECONOMIA

Ministro da Fazenda diz que reforma da Previdência deve sair em outubro

Segundo Henrique Meirelles, reforma tributária também deve sair este ano


postado em 04/08/2017 13:05

O governo federal espera aprovar a reforma da Previdência até outubro deste ano, segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles. Ele que participou de uma reunião com investidores estrangeiros na quinta, dia 3 de agosto, na cidade de São Paulo. Ele não acredita que o placar da votação que rejeitou a denúncia contra o presidente Michel Temer vá se refletir na votação das reformas. "Não é simplesmente quem é contra ou a favor do governo. Vai além disso. Acreditamos na viabilidade da aprovação", aponta. O ministro destaca que a aprovação das reformas demandará trabalho intenso. "Não é uma coisa trivial", diz.

Meirelles também comenta sobre a reforma tributária que, na avaliação dele, deve ser votada até novembro. "Estamos trabalhando duro na reforma tributária e ela vai ser apresentada ao Congresso num próximo momento". Ele não descarta a possibilidade de inverter a ordem de votação entre as reformas prioritárias para o governo. "Se até lá a Previdência não tiver sido votada, a tributária pode passar na frente".

Meta fiscal

De acordo com o ministro, o governo analisa as razões para a queda na arrecadação para avaliar possíveis mudanças na meta fiscal. "A princípio a meta é R$ 139 bilhões. Nosso compromisso, nosso objetivo é cumprir a meta", afirm. Entre razões que podem explicar a diminuição da arrecadação, está a inflação. "Se a inflação volta a convergir para a meta, portanto, isso tende a regularizar essa parte da receita", explica.

Outra questão que teve impacto, segundo Meirelles, foi o Refis, o programa de refinanciamento de dívidas de empresas e pessoas físicas. "Mas a arrecadação junho já retomou um pouco e nossa expectativa é que a retomada possa resolver essa questão", comenta.

(com Agência Brasil)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade