Publicidade

Estado de Minas SAúDE

Crianças podem usar a melatonina?

Hormônio vem sendo cada vez mais usado por quem não consegue dormir


postado em 26/09/2017 09:55

Sabia que ainda existem poucos estudos sobre a segurança da ingestão da melatonina, hormônio responsável pela regulação do "relógio biológico", ajudando no sono. Outro ponto importante diz respeito ao uso da substância por crianças. Faz mal? "Simplesmente não sabemos quais são os potenciais efeitos, da melatonina, em longo prazo, particularmente quando falamos sobre crianças pequenas. Os pais realmente precisam entender que existem riscos potenciais", afirma o pediatra e homeopata Moises Chencinski.

A glândula pineal no cérebro é a responsável por produzir a melatonina, especialmente à noite, à medida que a luz do Sol desaparece, para favorecer o sono – a produção diminui à medida que o dia amanhece. As formas sintéticas do hormônio são vendidas como suplementos. Mas, o que muita gente não sabe, é que a melatonina também é encontrada em alguns alimentos, como cevada, azeitonas e nozes.

Segundo o médico, em adultos, estudos mostram que o hormônio é eficaz para corrigir o famoso jet lag (problema causado pela diferença de fuso horário) e para alguns distúrbios do sono. A substância é popular entre os pais de crianças com distúrbios do sono ou com déficit de atenção ou autismo. "Está cada vez mais comum se deparar com uma família que medica a criança insone com melatonina", comenta Chencinski.

Embora o uso, em curto prazo, da melatonina seja considerado seguro, o pediatra esclarece que podem surgir efeitos colaterais, incluindo dores de cabeça, tonturas e sonolência diurna. O hormônio também pode interferir na pressão arterial, no diabetes e nos medicamentos anticoagulantes.

O especialista esclarece que ainda temos pouco conhecimento sobre os efeitos dessa substância potente em crianças. Algumas pesquisas sugerem que, pelo menos em teoria, a melatonina pode ter efeitos no desenvolvimento dos sistemas reprodutivos, cardiovasculares, imunes e metabólicos.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade