Publicidade

Estado de Minas PET

Sabia que é preciso fazer exame de mama em gatas e cadelas?

Assim como as mulheres, os bichinhos também podem sofrer com o câncer de mama


postado em 29/09/2017 13:35

Não apenas as mulheres sofrem com o câncer de mama. Ele é um dos tumores mais diagnosticados nas cadelas e gatas, principalmente nos animais com idade avançada. De acordo com a veterinária Júlia Leite, da Petland, a principal prevenção é a castração antes do primeiro cio. "Esse tipo de tumor tem alta dependência dos hormônios produzidos pelo útero e ovários. Diante disso, se o pet for castrado antes do primeiro cio, as chances de desenvolver tumores é de quase 0,5%", afirma a especialista.

Assim como nos seres humanos, em que o autoexame é essencial, os tutores devem avaliar as mamas do animal periodicamente. "Uma dica é aproveitar a hora do carinho na barriga para avaliar as mamas. As cadelas têm cinco pares e as gatas, quatro pares. Apalpe uma por uma e entre elas. Se o tutor notar nódulos, diferença de tamanho entre as mamas, aumento de volume ou algum tipo de secreção, deve levar o pet ao médico veterinário para a confirmação do diagnóstico, que é feito por meio de exames clínicos e laboratoriais", explica Júlia Leite.

Para confirmação do tumor, o exame laboratorial mais comum é a citologia aspirativa. O diagnóstico é feito por meio de uma punção do nódulo com uma agulha bem pequena, não sendo necessário sedar o animal. Se confirmado o câncer de mama, o próximo passo é avaliar os pulmões. Segundo a veterinária Mariana Ricci, também da Petland, "os veterinários sempre solicitam uma radiografia torácica para avaliar os pulmões, uma vez que os tumores mamários podem causar metástase neste órgão".

Tratamento

Uma vez diagnosticado o câncer de mama na cadela ou na gata, e não havendo metástase pulmonar, o principal tratamento é a intervenção cirúrgica. Neste caso, o profissional realiza uma mastectomia na mama atingida. Se o diagnóstico for precoce, as chances de cura com a cirurgia são maiores, muitas vezes não necessitando de tratamento quimioterápico.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade