Trocar tratamentos convencionais por alternativos contra o câncer pode ser fatal

Estudo feito nos EUA mostra que pacientes que largaram a quimioterapia e a radioterapia tiveram mais chances de morrer de câncer

por Vinícius Andrade 04/09/2017 10:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Estudo americano mostra que pacientes com câncer de mama que largaram os tratamentos convencionais tiveram cinco vezes mais risco de morrer em decorrência da doença (foto: Pixabay)
Abandonar um tratamento convencional para tentar métodos alternativos contra o câncer pode não ser o melhor caminho. Segundo estudo publicado no periódico oficial do Instituto Nacional do Câncer, dos Estados Unidos, pacientes que fizeram essa escolha e buscaram recursos com menos efeitos colaterais tiveram o dobro de chance de morrer em decorrência do cancro.

A pesquisa foi conduzida pelo médico Skyler Johnson, da Escola de Medicina da Universidade de Yale (EUA). Sua equipe colheu informações de 840 pacientes listados no banco de dados americano sobre o câncer entre os anos de 2004 e 2013. Deste total, 280 optaram por tratamentos alternativos e 560 pelo método convencional. O estudo abordou os tipos mais comuns da doença no país: de mama, da próstata, do pulmão e colorretal.

Conforme o resultado do estudo, aqueles que optaram por um recurso alternativo tiveram 2,5 vezes mais chances de morrer durante um período de cinco anos e meio após o tratamento do que os pacientes que recorreram à quimioterapia, cirurgia ou algum tratamento com radiação.

Ao separar a pesquisa pelos tipos da doença, a maior taxa de mortalidade foi registrada nos pacientes que sofriam de câncer de mama e que não recorreram a tratamentos convencionais – até cinco vezes mais. Na sequência apareceram os pacientes vítimas do câncer de cólon (quatro vezes) e de pulmão (duas vezes). Em relação ao câncer de próstata, não houve alteração no risco de mortalidade.

De acordo com o autor do estudo, Skylerx Johnson, o levantamento foi feito porque o número de pacientes que abandonam as recomendações médicas para tentar tratamentos não convencionais está aumentando. "Podemos ter, agora, uma discussão com base em evidências, sobre qual é o risco para quem opta por terapias alternativas", comenta o médico em entrevista ao canal americano de notícias CNN.

Últimas notícias

Comentários