Entenda porque é perigoso comprar peça automotiva que não seja genuína

Itens paralelos podem afetar o funcionamento do carro e até causar acidentes

por Marcelo Fraga 17/10/2017 08:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.

Pixabay
Como mostra o especialista, usar peças paralelas pode comprometer a estrutura do veículo e afetar a segurança do motorista e dos passageiros (foto: Pixabay)

Original ou paralela?. Certamente você já ouviu essa pergunta caso seu carro tenha necessitado de conserto e precisou trocar alguma peça. O questionamento, que costuma ser feito por alguns mecânicos e funcionários de lojas de peças automotivas, diz respeito à variedade de itens de reposição disponíveis no mercado.

As principais diferenças entre as peças originais e as paralelas são o preço e a qualidade, conforme explica Lívio Rosa, gerente geral de pós-venda da concessionária Saitama, da Honda, de Belo Horizonte. "A tentação para o consumidor é grande, já que as peças paralelas são mais baratas, em comparação com as originais", comenta o especialista. Porém, de acordo com Lívio, este é mais um daqueles casos em que o "barato pode sair caro", já que a durabilidade dos itens paralelos é muito inferior.

A qualidade superior das peças originais – também chamadas de genuínas – se dá porque, segundo o gerente da Saitama, elas são auditadas pelas montadoras, "passando por um rigoroso processo de qualidade, no qual um mínimo desvio é suficiente para a reprovação da peça em questão".

É mesmo original?

Lívio Rosa diz que a maneira mais fácil de identificar se uma peça é genuína é solicitar ao mecânico ou vendedor que apresente o item dentro da embalagem original. "Se for uma peça realmente genuína, sua caixa deve possuir o logotipo da montadora e um código numérico ou alfanumérico na etiqueta ou na caixa, que corresponde ao registro do item no sistema do fabricante", esclarece o gerente de pós-venda.

Garantia

Outra vantagem das peças originais em comparação com as paralelas é que elas, normalmente, possuem tempo de garantia bem mais extenso. "Na Honda, por exemplo, peças originais substituídas dentro da rede autorizada possuem um ano de garantia, mesmo se a garantia da fábrica já tiver acabado", afirma Lívio.

Além disso, o gerente da concessionária Saitama alerta que, para veículos que estão dentro do prazo de garantia da fábrica, é imprescindível o uso de peças originais. Isso porque, caso itens originais sejam substituídos por paralelos, as montadoras não se responsabilizam por possíveis danos decorrentes desta ação, incluindo os que podem afetar outras partes do automóvel.

Segurança

A utilização de peças paralelas pode afetar também a segurança de motoristas e passageiros, além de trazer prejuízos financeiros ao proprietário do carro, de acordo com Lívio Rosa. O gerente lista possíveis problemas decorrentes da instalação de itens não oficiais da montadora:

  • Risco de acidente: se uma peça de baixa qualidade for instalada no sistema de suspensão, pode causar perda de estabilidade do veículo, levando, inclusive, à ocorrência de acidentes graves

  • Danos ao carro: peças paralelas instaladas no sistema de arrefecimento podem causar mal funcionamento, elevando a temperatura do motor, o que gera a perda parcial ou, até mesmo, total, desta parte essencial do veículo

  • Despesas adicionais: as peças paralelas podem apresentar pequenas diferenças de tamanho em relação às originais ou genuínas. Isso pode fazer com que elas não se encaixem perfeitamente no veículo, obrigando o proprietário a realizar uma nova compra e, desta forma, gastar mais do que se tivesse comprado um item original desde o início

Últimas notícias

Comentários