Cientistas acreditam que a Nova Zelândia está prestes a sofrer um terremoto catastrófico

Depois do abalo de 2016, a tensão entre as placas tectônicas da região estaria ainda mais instável

por Encontro Digital 30/11/2017 13:27

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Ainda bem que o Brasil é um país livre de terremotos de magnitude expressiva. O mesmo, porém, não podemos dizer de certas nações, especialmente as localizadas no oceano Pacífico. Um exemplo é a Nova Zelândia, que fica na Oceania. Um ano depois de ter sofrido um abalo sísmico de magnitude 7,8, geólogos neozelandeses acabam de divulgar uma previsão alarmante: o terremoto reativou uma falha geológica que é capaz de gerar novos sismos catastróficos.

De acordo com uma notícia publicada no jornal neozelandês The Marlborough Express, a previsão dos geólogos é de que o país que serviu de cenário para a saga O Senhor dos Anéis seja vítima de um novo terremoto, mas de magnitude que chegará a nada menos que 9º na escala Richter. Isto provocaria também um imenso tsunami, que afetaria as ilhas de toda a região.

A preocupação dos cientistas diz respeito aos movimentos tectônicos que se localizam na fossa de Hikurangi, que fica perto da costa leste da ilha mais setentrional da Nova Zelândia. Nessa parte do mar, onde se encontra também o planalto submerso de Hikurangi, existe uma subducção (afundamento) da placa indo-australiana. Até então, acreditava-se que o platô estava preso debaixo da plataforma continental, mas, os especialistas do Centro de Estudos Geológicos da Nova Zelândia acreditam que o terremoto de 2016 causou uma instabilidade preocupante.

A fricção entre essas duas placas tectônicas vem acumulando uma forte tensão, que pode ser liberada por meio de terremotos de intensidades variáveis. No caso da Nova Zelândia, estima-se que, desta vez, a tensão pode ser liberada na forma de um terremoto de magnitude 9, segundo a geóloga neozelandesa Ursula Cochran, em entrevista para o The Marlborough Express.

"Primeiramente, temos que pensar na situação do Japão em 2011, porque, se o limite de toda a placa se quebrar, isso levaria a um terremoto de magnitude 9", comenta a cientista.

Ainda assim, não é possível especificar uma data para uma catástrofe dessa escala, nem se todo o planalto de Hikurangi deslizaria ao mesmo tempo. Porém, os cientistas sublinham a necessidade de levar em consideração a chance de um grande desastre ocorrer.

"Não devemos ter medo, devemos estar preparados", ressalta Cochran.

Essa ameaça em potencial já fez com que o governo neozelandês liberasse US$ 767.470 (cerca de R$ 2,49 milhões) para projetos destinados a preparar a população das ilhas para um possível desastre natural provocado por uma quebra na zona de subdução do Hikurangi.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários