Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Cuidado para a ansiedade não causar problemas físicos

O transtorno psicológico pode causar de perda de sono a câncer, sabia?


postado em 03/11/2017 11:42 / atualizado em 03/11/2017 11:49

É quase impossível viver numa grande cidade e não se deparar com uma questão emocional que aflige milhões de pessoas: a ansiedade. Apesar de parecer algo natural, ela é responsável pelo sentimento angustiante que toma conta de algumas pessoas, não deixando que se sintam seguras, confiantes e tranquilas, o que pode resultar em graves alterações psicológicas e físicas.

Segundo o psicólogo e psicanalista Eraldo Medo, para se identificar quando a ansiedade em uma pessoa é normal ou patológica, algumas considerações precisam ser mensuradas. "Como, por exemplo, a intensidade com que ocorrem as manifestações, a duração e o grau de limitação que ela impõe ao paciente", explica o especialista.

Na última década, pesquisadores passaram a considerar que, independente dos fatores que provocam a ansiedade, o transtorno se deriva de uma resposta dos circuitos elétricos do nosso cérebro.

Vale dizer que o medo é algo comum e que protege as pessoas de diversos perigos. No entanto, como mostra o psicólogo, quando a sensação de angústia é permanente, gera reações físicas e atrapalha atividades cotidianas, "é preciso averiguar se a ansiedade ganhou um patamar patológico". "Esta, gera além da falta de sono, gastrites extremas que podem se tornar úlceras e até câncer. O indivíduo passa a viver de modo automático, com uma preocupação que antecede o acontecimento, obtendo dores no corpo que se tornam psicossomática e também perda de concentração", ressalta Eraldo Medo.

O tratamento para as crises de ansiedade inclui o uso de antidepressivos e ou ansiolíticos, sempre sob orientação médica. O tratamento farmacológico, como em qualquer transtorno crônico, é prolongado e deve ser mantido por até 12 meses, porém, nem sempre é necessário tratamento a longo prazo. Isto dependerá de como o paciente reage ao uso da medicação. "Além da medicação é importante fazer terapia, para tratar as causas da ansiedade, o que te leva a ficar muito ansiosa, porque, como lidar e resolver essas situações", completa o especialista.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade