Deixar de usar fio dental pode causar doenças graves que afetam até o coração

Segundo pesquisa da Datafolha, 30% dos brasileiros usam fio dental, mas apenas uma vez por dia

por Da redação com assessorias 21/11/2017 15:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Perio.org/Reprodução
Como mostra o especialista, é preciso usar o fio dental sempre que for escovar os dentes, especialmente antes de dormir (foto: Perio.org/Reprodução)
Normalmente, a gente escova os dentes sempre depois de cada refeição, certo? Mas, quantas vezes se usa o fio dental? Por esquecimento ou falta de conhecimento, esse hábito ruim pode trazer muitos danos, tanto à saúde bucal quanto ao organismo de forma geral, podendo até ser fator de risco para o Acidente Vascular Cerebral (AVC) e o infarto do miocárdio.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo instituto Datafolha, 57% dos brasileiros utilizam o fio dental diariamente e, apenas 30% usam mais de uma vez por dia. "O ideal é utilizar o fio dental após as refeições e, principalmente, antes de dormir, pois as horas ininterruptas de boca fechada contribuem para a proliferação de bactérias. Se há restos de comida entre os dentes, a situação só piora, podendo ocasionar doenças da gengiva, como gengivite que, em seu estado mais avançado, é denominada doença periodontal", esclarece o dentista Paulo Coelho Andrade.

Ele lembra que a gengivite é caracterizada pelo sangramento da gengiva e, em alguns casos, apresenta um leve mau hálito. Já na doença periodontal, a halitose fica mais acentuada e pode haver até mobilidade dental, ocasionando, inclusive, a perda de dentes. "O problema, se não tratado em tempo hábil, costuma comprometer até os ossos que funcionam como base de sustentação dos dentes", esclarece o especialista.

Segundo o dentista, como as doenças são inflamatórias e caracterizadas pelo sangramento da gengiva, há grande risco de alguma bactéria cair na corrente sanguínea e se alojar em artérias cerebrais ou coronárias, ocasionando a interrupção ou mau funcionamento do cérebro e do coração. Além destes problemas, a inflamação na boca pode ocasionar uma doença chamada endocardite bacteriana ou até septicemia, que pode levar o paciente à morte.

Os problemas, apesar de graves, têm tratamento e, principalmente, prevenção. Uma boa higiene bucal aliada a visitas periódicas ao dentista – de 6 em 6 meses – asseguram a saúde de toda a boca. "Antes de escovar os dentes é necessário o uso do fio dental. O hábito deve ser criado desde a infância, com os dentes de leite. O fio deve ser passado em todos os sulcos gengivais, até o último dente. Para cada um, deve ser utilizada uma parte nova do fio", comenta Paulo Andrade.

Para a escovação, o especialista recomenda o uso de escovas com cerdas macias. "Existem várias técnicas de escovação, que são indicadas de acordo com cada paciente. É de suma importância que todas as superfícies dos dentes sejam escovadas. Escovar os dentes com muita força pode causar retração gengival e, consequente, sensibilidade dentária. O ideal é ficar atento às orientações do dentista", afirma.

Últimas notícias

Comentários