Publicidade

Estado de Minas SAúDE

Quem pratica muita corrida deve ter cuidado com a condromalacia patelar

O problema atinge a articulação do joelho e provoca muitas dores


postado em 20/11/2017 13:31 / atualizado em 20/11/2017 13:48

Quem pratica atividade física constante, especialmente corrida, com certeza, já deve ter sentido dores na articulação do joelho. Segundo a Sociedade Americana de Ortopedia, cerca de 40% dos problemas de joelho estão relacionados com o desgaste da cartilagem patelar, a chamada condromalacia patelar, conhecida popularmente como "joelho de corredor".

A condromalacia patelar é uma lesão muito frequente na população, especialmente entre as mulheres, e pode comprometer tanto a prática esportiva quanto a própria qualidade de vida de quem a possui. Também conhecido como "dor fêmur-patelar", o problema é caracterizado pela degeneração da cartilagem do joelho, podendo ter vários graus de desgaste, desde uma fragilidade mais simples até um nível mais avançado de fissura e quebra do tecido.

Atividades como subir ou descer escadas, agachar, levantar, ficar muito tempo sentado ou caminhar em superfícies muito íngremes podem piorar os sintomas da condromalacia, que pode atingir até os dois joelhos. Nas mulheres, o uso de salto alto também agrava a condição.

"O quadro mais grave é quando praticamente não há mais cartilagem no joelho, chegando a tal ponto de provocar atrito entre os ossos, do fêmur com a tíbia. É esse atrito que causa as dores intensas quando a pessoa faz algum movimento", comenta a fisioterapeuta Ana Carolina Dutra, da clínica Vitalitè, de Curitiba (PR). "O que doi, na verdade, é a sobrecarga causada pela falta da cartilagem. Como as estruturas de tendões e músculos ao redor são muito enervadas, a dor será uma consequência dessa sobrecarga", acrescenta a especialista.

A fisioterapeuta explica ainda que há diversos fatores que causam a condromalacia patelar, mas os principais são os biomecânicos. "Questões como postura, desalinhamento do quadril, patela e tornozelo, desequilíbrio de força entre as pernas, sobrecarga, exercícios de impacto, como a corrida, por exemplo, têm influência direta no desgaste da cartilagem do joelho", esclarece Ana Carolina.

Correr ou não?

Mas, é possível praticar corrida, mesmo com a condromalacia? A especialista afirma de forma categórica que não. "Durante a condromalacia não é aconselhável praticar corridas, justamente por se tratar de uma prática que causa impacto nas articulações e que pode favorecer o fator causador da lesão. Portanto, é importante que a condromalacia seja tratada antes de voltar à prática esportiva, e esse tratamento deve contemplar consultas e exames médicos e, sobretudo, um programa específico de fisioterapia, para ajudar no fortalecimento e alongamento dos músculos da coxa", diz a fisioterapeuta.

Conforme a especialista, o fortalecimento muscular é um dos procedimentos mais importantes no tratamento fisioterapêutico, pois protege a cartilagem do impacto do movimento, livrando-a, em parte, da sobrecarga. À medida em que o paciente responde ao tratamento, a prática esportiva é liberada aos poucos.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade