Publicidade

Estado de Minas PET

Saiba como agir para que um gato aceite o outro

Muitos tutores ficam em dúvida sobre como agir quando um gato novo chega em casa


postado em 30/11/2017 08:33 / atualizado em 30/11/2017 08:52

Quem gosta de gato costuma dizer que sempre é bom ter pelo menos dois em casa. Mas, será que é fácil fazer o bichano acostumar com o novo "irmão", quando eles não cersceram juntos? Nem sempre é fácil criar uma amizade entre felinos que nunca se viram, mas não é impossível. A , , dá algumas dicas para facilitar esse processo e indica cautela na hora da aproximação.

"É preciso ter um pouco de paciência para até que o gato mais velho aceite um novo morador em casa. Entender que o filhote é um ser estranho para o adulto é o primeiro passo. Em seguida, com carinho e dedicação, algumas etapas devem ser vencidas para alcançar êxito", orienta a médica veterinária Laís Alarça, da Hercosul Alimentos.

Territorialistas por natureza, os gatos dificilmente topam outro felino de primeira, porém, vão aceitando gradualmente essa nova amizade. "Cada caso é um caso e tudo varia de acordo com a personalidade, idade, temperamento e raça. No geral, não se deve aproximar os dois de uma vez só, pois além de ser perigoso, dificulta ainda mais o processo", esclarece a especialista.

Laís Alarça afirma que os animais devem ficar separados nos primeiros dias, ou seja, cada um em um cômodo da casa. A primeira etapa é a mais fácil, pois o recomendado é que não haja nem contato visual. "Eles sentirão os respectivos cheiros e essa fase é extremamente importante", completa.

O olfato dos felinos é refinado e tem função relevante na aceitação de um novo parceiro. "Eles se conhecerão pelo cheiro e só depois devem ser aproximados", diz a veterinária.

Troque cobertores ou caminhas entre eles para que se acostumem ainda mais com os cheiros. Para facilitar essa tapa, e isso é fundamental, coloque petiscos no ambiente para que associem o processo ao prazer.

O próximo passo é trocar os gatos de lugar, porém, sem que se vejam ainda. Coloque o filhote no ambiente do adulto e vice-versa. "Comece com meia hora e pode aumentar o tempo em dois ou três dias", orienta Laís.

A interação pode iniciar após essa etapa, mas com cautela. Promova brincadeiras por baixo da porta, por exemplo, é uma boa opção. "Uma cordinha pode auxiliar nesse processo e o ideal é que cada um a segure de um lado", completa a especialista.

Na hora de apresentar os novos "amigos", fique atento aos sinais de cada bichinho. "Alguns sinais são importantes para ter certeza de que é o momento certo para isso. Por exemplo, os cheiros já não parecem estranhos, os animais não fazem barulho ao perceber a presença um do outro, não aparentam receio ou medo ao caminhar pela casa são alguns indicativos de sucesso", explica.

Segundo a veterinária, a média de tempo para o processo todo não passa de uma semana, porém, em alguns casos, pode levar até um mês. "Como disse antes, cada gato é um e as relações não são estabelecidas tão facilmente entre essa espécie. É preciso muita paciência e amor para que a harmonia reine novamente".

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade