Publicidade

Estado de Minas ASTRONOMIA

Vida na Terra pode ser resultado de viagens de micro-organismos alienígenas

Estudo mostra que poeira espacial com seres vivos pode ter bombardeado nosso planeta


postado em 22/11/2017 17:34 / atualizado em 22/11/2017 17:34

Segundo estudo realizado por astrônomos da Universidade de Edimburgo, na Escócia, é possível que a vida na Terra tenha começado depois que formas de vida alienígenas microscópicas conseguiram chegar em nosso planeta, então estéril, depois de "viajar" num fluxo de poeira espacial.

A pesquisa, liderada pelo professor Arjun Berera, da Faculdade de Física e Astronomia, afirma que fortes correntes de poeira cósmica, que se deslocavam em velocidades de até 70 km/s (ou 252 mil km/h), podem ter transportado organismos vivos microscópicos capazes de sobreviver à jornada espacial.

Além disso, segundo o estudo, as rajadas rápidas de poeira espacial impactam nosso planeta regularmente, enviando pequenas formas de vida terrestres para a atmosfera, 150 km acima da superfície da Terra. Ou seja, em teoria, organismos vivos terrestres também podem ser levados para outros planetas.

A hipótese da poeira espacial como transporte de micro-organismos se soma a outra já conhecida, e defendida por muitos astrônomos, que sugere que os impactos de asteroides e cometas são o método natural, mais provável, ou até o único, de transferência de vida entre planetas no Universo.

Ainda assim, a teoria defendida pelo professor Arjun Berera, conhecida como panspermia, traz um novo debate sobre a origem da vida na Terra. Segundo o pesquisador escocês, cerca de 100 mil kg de poeira espacial caem no nosso planeta todos os dias.

Em comunicado enviado à imprensa, Berera afirma que "a suposição de que colisões de poeira espacial poderiam empurrar organismos por distâncias enormes no Universo cria algumas perspectivas impressionantes que explicam como a vida e as atmosferas dos planetas se originam".

(com Agência Sputnik)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade