Publicidade

Estado de Minas PET

Cães lambem a própria boca ao ver uma pessoa brava

Estudo mostra que os pets reagem às expressões negativas dos humanos


postado em 13/12/2017 10:09 / atualizado em 13/12/2017 10:19

Você já percebeu que os cães costumam lamber a própria boca? Normalmente, isso ocorre quando o cachorro está prestes a ser alimentado ou diante de um alimento. Entretanto, muitos animais apresentam esse comportamento em situações não associadas à refeição. Segundo um estudo feito pesquisadores do Instituto de Psicologia da USP, e publicado na revista científica Behavioural Processes, o ato de lamber a própria boca pode representar um momento negativo.

"Nosso estudo constatou que, quando os cães percebem algo negativo que afeta o próprio estado emocional deles, possivelmente também de forma negativa, eles apresentam um sinal visual, que é o ato de lamber a própria boca. Quando nós, seres humanos, vemos alguém com um rosto fechado, com uma cara de bravo, isso pode mudar nosso estado interno. Com os cães parece ocorrer algo semelhante", comenta a bióloga Natalia de Souza Albuquerque, autora do estudo.

A pesquisa da USP constatou que os cachorros lambem a própria boca a partir de um contato visual com uma expressão negativa, seja do ser humano, seja de outro cão. Entretanto, nos estudos realizados pela bióloga, esse ato ocorreu predominantemente quando os animais visualizaram uma imagem representando uma expressão negativa de um ser humano. "O fato de expressar mais esse comportamento para seres humanos e estar relacionado apenas com o visual e não auditivo nos faz acreditar que esse comportamento foi selecionado durante a domesticação, ao longo do processo de evolução, para facilitar a comunicação entre cães e pessoas", afirma a pesquisadora. Entretanto, Natalia faz uma ressalva: "Ainda não há informações comprovando que os cães fazem isso de forma intencional, ou seja, com a intenção de comunicarem o que sentem aos seres humanos. Talvez em estudos futuros nós consigamos desvendar, mas, por enquanto, não temos essa informação e não podemos falar a respeito".

Segundo Natalia Albuquerque, existe uma literatura que associa o ato de lamber a própria boca a respostas ao estresse no cão. Mas, esse comportamento nunca havia sido avaliado sistematicamente por meio de estudos científicos. A bióloga destaca que há muitas informações circulando sobre comportamento de cães sem real fundamentação teórica.

Como exemplo, a pesquisadora da USP cita um desses mitos: o de que, ao balançar o rabo, o cão está sinalizando amizade e que podemos nos aproximar dele. "Atualmente, estudos têm mostrando que balançar o rabo pode sinalizar diversas coisas, como agressividade, frustração e felicidade. Isso mostra que não é algo tão simples e não compreender verdadeiramente esses comportamentos pode até ser perigoso, pois o cão pode balançar o rabo por se sentir acuado e estar sinalizando que não quer uma aproximação", alerta Natalia.

(com Jornal da USP)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade