É melhor contratar o seguro antes ou depois de retirar o veículo da loja?

Especialista fala sobre a importância do seguro para o carro novo

por Marcelo Fraga 26/12/2017 08:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Como esclarece o especialista, para evitar problemas, o ideal é sempre adquirir o seguro quando o carro ainda está na concessionária (foto: Pixabay)
Logo após a sensação de satisfação ao adquirir um veículo, seja ele 0 km ou seminovo, surge uma preocupação: a necessidade de fazer seguro do carro. Afinal, imprevistos acontecem, mas, você, com certeza, não vai querer que seu automóvel recém adquirido esteja desprotegido perante fatos indesejáveis, como furtos, roubos e acidentes.

Infelizmente, esses problemas podem acontecer a qualquer momento, portanto, é recomendável que o seguro seja contratado antes mesmo da retirada do veículo do local da compra. "Sem dúvida, o melhor momento para fazer a contratação é com o carro ainda dentro da loja. Não vale a pena correr o risco de sair às ruas sem proteção", alerta William Alves, gerente geral de pós-venda da concessionária Saitama, da Honda, de Belo Horizonte.

Ainda de acordo com o especialista, agir dessa forma só traz benefícios porque as corretoras sugeridas pelas concessionárias, geralmente, trabalham somente com as seguradoras mais reconhecidas e qualificadas do mercado.

No entanto, antes de contratar um seguro, são necessários alguns cuidados, segundo o gerente da Saitama. Por isso, os seguintes aspectos devem ser observados:

  • Valores: William Alves destaca que há uma grande variedade de seguradoras e de planos disponíveis no mercado. "Os preços para um mesmo tipo de cobertura podem variar bastante. Logo, é fundamental buscar uma corretora de confiança para que a análise seja realizada levando em conta a melhor relação custo-benefício". Ele ressalta, ainda, que as proteções que incluem carro reserva, franquia reduzida, os vidros, faróis e retrovisores são as que mais elevam os preços, por isso, é bom ficar de olho e contratar aquilo que realmente for necessário, observando os itens que estão previstos na apólice

  • Qualidade: caso ocorra um acidente com seu carro, é certo que você vai querer que ele seja reparado com a maior rapidez e qualidade possíveis. Então, é importante ficar atento às oficinas mecânicas que a seguradora disponibiliza, pois, geralmente, de acordo com o especialista, muitas empresas priorizam o baixo custo da mão-de-obra, não se importando com a qualidade. Para evitar dor de cabeça, ele sugere priorizar as seguradoras que dão a opção de conserto do carro em oficinas autorizadas, ou seja, as certificadas pelo fabricante, como as que existem nas concessionárias

Franquia

Outro aspecto que ainda gera dúvidas quando se contrata um seguro veicular é a famosa franquia. "Trata-se de um valor estabelecido na ápolice de seguro que representa qual será a quantia que o segurado deverá pagar caso o veículo precise ser reparado. É como se fosse uma coparticipação, como as que existem nos planos de saúde, por exemplo", esclarece o gerente da Saitama.

A franquia funciona da seguinte forma: se, após um sinistro (acidente), o custo dos reparos for inferior ao valor da franquia estabelecida no contrato, o segurado precisa arcar com todo o valor do conserto. Caso o preço do reparo seja maior do que a franquia, o cliente paga somente por ela, e a seguradora arca com o restante. Porém, quanto menor o valor da franquia contratada, maior será o valor a ser pago pelo seguro. Para furto ou roubo, as seguradoras não cobram franquia, completa William Alves.

Perda do seguro?

O gerente de pós-venda alerta que, qualquer descumprimento dos itens previstos na apólice pode levar o cliente a perder as proteções contratadas. Entre os problemas mais comuns que levam à perda do seguro estão: motorista sem habilitação; informações repassadas incorretamente à seguradora na hora da contratação; e dirigir embriagado.

Últimas notícias

Comentários