Entenda melhor a Hiperplasia Prostática Benigna, que acomete o presidente Michel Temer

A doença acomete cerca de 80% dos homens com mais de 50 anos, segundo a Organização Mundial de Saúde

por Da redação com assessorias 15/12/2017 17:40

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Allnewsandreports.com/Reprodução
A Hiperplasia Prostática Benigna, doença que afeta o presidente Michel Temer e a grande maioria dos homens acima de 50 anos, causa problemas no sistema urinário (foto: Allnewsandreports.com/Reprodução)
Para quem não sabe, o presidente Michel Temer é um dos 14 milhões de brasileiros que convivem com a Hiperplasia Prostática Benigna, doença que provoca o aumento da próstata. Os dados são da Sociedade Brasileira de Urologia. O peemedebista passou por um segundo procedimento cirúrgico para desobstrução da uretra no dia 14 de dezembro, no hospital Sírio Libanês, em São Paulo. Em outubro deste ano, Temer já havia sido internado no mesmo hospital, com problemas urológicos causados pelo aumento da próstata, e passou pela mesma cirurgia para desobstrução da uretra.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que a doença acomete cerca de 80% dos homens acima dos 50 anos. A hiperplasia afeta a qualidade de vida do paciente e, segundo o urologista Fernando Leão, a alta incidência de homens com o problema está diretamente relacionada ao aumento da expectativa de vida. "Estamos vivendo mais e é uma condição inevitável para a maior parte do universo masculino a partir da meia-idade. Aos 90 anos, pesquisas indicam que a Hiperplasia Prostática Benigna acomete cerca de 90% dos homens, por exemplo", comenta o especialista.

Ligada ao aumento da produção do hormônio testosterona, a hiperplasia comprime a bexiga e obstrui parcial ou totalmente a uretra, com consequente prejuízo para o fluxo normal da urina. O médico recomenda que os homens fiquem atentos aos seguintes sintomas: desconforto na bexiga com a sensação de "peso"; jato urinário fraco; sensação de esvaziamento incompleto da bexiga; ardência ao urinar; aumento do ato de urinar à noite; urgência miccional; e incontinência urinária.

"Tais sintomas prejudicam a qualidade do sono, exigindo que o paciente acorde inúmeras vezes durante a noite para urinar, e deixando-o cansado e impaciente para as atividades diurnas", destaca Fernando Leão.

O urologista indica que, ao constatar algum desses sintomas, o homem deve procurar um especialista imediatamente. Para diagnosticar a Hiperplasia Prostática Benigna são necessários exame físico (toque retal) e de sangue, em que é mensurado o nível de Antígeno Prostático Específico (PSA). "A prevenção deverá ser feita a partir dos 40 anos de idade, se houver antecedentes na família; caso não haja, o recomendado é ir ao urologista anualmente a partir dos 50 anos", ressalta o especialista.

Além da cirurgia, o problema pode ser tratado, dependendo do caso, também por meio de medicamentos, que relaxam os músculos que circundam o colo da bexiga.

Últimas notícias

Comentários