Publicidade

Estado de Minas INTERNET

Cuidado com o golpe do cupom do Burger King

Uma mensagem falsa está circulando no WhatsApp e promete R$ 50 para quem responder um questionário


postado em 03/01/2018 17:21 / atualizado em 03/01/2018 17:25

O nome da famosa rede americana de fast-food Burger King, maior concorrente do McDonald's, está sendo utilizado, novamente, para aplicar um golpe por meio do aplicativo de mensagens WhatsApp. Desta vez, os usuários do app estão recebendo mensagens oferecendo um cupom fictício de R$ 50.

O texto, que começou a circular desde o dia 1º de janeiro deste ano, é acompanhado por um link que, supostamente, levaria a um formulário de cadastro obrigatório para a obtenção do cupom. Porém, o endereço eletrônico, na verdade, permite aos criminosos que estão aplicando o golpe acessar os dados armazenados no smartphone, enquanto a pessoa preenche os campos falso formulário. Além disso, os hackers aproveitam para coletar os dados pessoais fornecidos durante o preenchimento.

Em comunicado enviado para o site da revista Veja, a assessoria do Burger King confirmou que tanto as mensagens quanto a promoção são, de fato, falsas e, portanto, não têm qualquer relação com a empresa.

Golpe comum

Esse tipo de fraude – que utiliza um link malicioso, induzindo o usuário a clicar – é muito comum na internet, sobretudo nas redes sociais, como o WhatsApp, e por meio de mensagens SMS e por e-mail. Inclusive, o golpe utilizando o nome do Burger King é recorrente e já circulou no Brasil há cerca de um ano e meio.

"Os criminosos virtuais costumam espalhar links maliciosos para pegar os desavisados. Fique atento. Leia sempre o link recebido, sem clicar, e, se for o caso, confira com o amigo que compartilhou se não é um vírus. Faça uma busca em sites como o Google e verifique se a informação é verdadeira, antes de clicar", orienta a empresa de segurança virtual PSafe, em texto divulgado em seu site oficial.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade