Obesidade animal é tão grave quanto a dos humanos

Os bichinhos de estimação também sofrem com o excesso de peso

por Da redação com assessorias 22/02/2018 10:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Excesso de comida e sedentarismo levam os pets a se tornarem obesos, o que traz inúmeros riscos para a saúde do bichinho de estimação (foto: Pixabay)
Todo mundo sabe que manter uma dieta desequilibrada, rica em produtos gordurosos e calóricos, aliada ao sedentarismo, pode causar sobrepeso e atrapalhar a saúde. Só que isso também vale para os animais de estimação. Muitos tutores só percebem que o bichinho tem obesidade quando a situação está grave. No caso dos pets, o excesso de peso vem acompanhado por uma série de riscos, como a propensão à diabetes, problemas cardíacos e respiratórios, dificuldade de locomoção e dores nas articulações.

Segundo a médica veterinária Cibele Erreiras Ruiz, consultora da Petvirtual, um aumento de peso igual ou superior a 20% nos animais de estimação já indica obesidade. "A melhor forma de identificar se o animal está com excesso de peso é observando-o. Se o corpo estiver muito arredondado, apresentando um acúmulo excessivo de gordura, principalmente no tórax, cintura e base de cauda, e se as costelas não estiverem visíveis e fáceis de apalpá-las, é hora de tomar as primeiras providências. Alguns sintomas também facilitam a indicação do quadro de obesidade como quando o animal pede comida várias vezes ao dia, não gosta de praticar exercícios, apresenta dificuldade para caminhar e dorme muito", esclarece a especialista.

A veterinária afirma que são várias as etapas para tratar o excesso de peso nos pets, além de ser necessário o comprometimento do tutor, um plano nutricional, um programa de exercícios físicos e o monitoramento metabólico e hormonal do bichinho, tudo acompanhado por um profissional.

Abaixo, Cibele Ruiz dá algumas dicas que podem ser adotadas para tratar o problema:

Dieta alimentar
O veterinário pode ajustar o cardápio de forma a proporcionar o emagrecimento saudável do pet. "O ideal é que ele faça três refeições ao dia, em porções de acordo com a raça do animal, para adquirir todos os nutrientes necessários para seu crescimento e não ganhar peso em excesso, havendo um intervalo entre as refeições", explica a especialista. O veterinário também poderá receitar uma dieta à base de ração especial. Neste caso, é possível dar snacks, desde que de forma moderada, na quantidade correta e apenas se o alimento tiver valor nutricional para o bichinho.

Exercícios
Entre as formas de exercício recomendadas, conforme Cibele Ruiz, está a caminhada, a corrida, o ato de buscar objetos arremessados pelos tutores ou vários tipos de brincadeiras. "O importante e efetivo é que o exercício seja realizado de forma contínua durante toda a vida do animal. Os exercícios serão recomendados pelo médico veterinário, conforme o estágio de obesidade do seu pet, já que ele pode ter dificuldade, no início, para se exercitar e não deve haver excessos". O ideal é começar aos poucos e ir aumentando gradualmente a distância percorrida.

Controle hormonal
A especialista alerta que, se mesmo com a dieta e com os exercícios o pet continuar com sobrepeso, será preciso fazer um acompanhamento metabólico com o veterinário, para analisar os níveis hormonais, de colesterol e de triglicérides.

Últimas notícias

Comentários