Menina com câncer tem perna amputada e recolocada ao contrário

Apesar de parecer bizarro, o procedimento é normal e se chama rotoplastia

por Marcelo Fraga 27/04/2018 17:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/World News/Reprodução
Aos 7 anos, a pequena Amelia Eldred foi diagnosticada com um câncer no fêmur da perna esquerda, que foi amputada e recolocada ao contrário, como parte da cirurgia chamada rotoplastia (foto: YouTube/World News/Reprodução )
Um caso médico inusitado ocorrido na Inglaterra está chamando a atenção na internet. Médicos do Hospital Ortopédico Real (Royal Orthopedic Hospital), na cidade de Birmingham, amputaram e reinplantaram ao contrário a perna esquerda de uma menina de 7 anos de idade. De acordo com o portal de notícias britânico Tech Times, a pequena paciente, identificada como Amelia Eldred, foi diagnosticada, em 2017, com um tipo de câncer ósseo chamado osteossarcoma. A doença atingiu o fêmur, maior osso da perna, fazendo com que ele se degenerasse. Ainda segundo o site, esse tipo de tumor atinge com mais frequência as crianças.

A família de Amelia descobriu que havia alguma errada com a menina após ela se machucar durante uma prática esportiva. Como a ferida não cicatrizava com o passar dos dias, sua mãe, Michelle Eldred, a levou ao Hospital Ortopédico Real, onde foi realizado o diagnóstico correto. A partir de então, a pequena inglesa foi submetida a sessões de quimioterapia por cinco semanas, mas, como o tratamento não estava funcionando, e o osteossarcoma continuava progredindo, os médicos decidiram realizar a amputação da perna.

Entretanto, de acordo com o Tech Times, a pequenina não sofreu uma amputação comum, tampouco foi vítima de um erro médico. Ela passou por um procedimento chamado rotoplastia, onde foi retirada a parte central de sua perna, incluindo uma porção da coxa, do joelho e uma seção da canela. Em seguida, a parte inferior, da metade da canela até o pé, foi reimplantada no restante da coxa, mas com o pé rotacionado em 90º, ou seja, o membro ficou com os dedos voltados para trás e o calcanhar para a frente.

Segundo os médicos do hospital inglês, a rotoplastia deve contribuir para que a pequena Amelia, no futuro, possa se adaptar melhor a uma prótese, já que poderá utilizar o tornozelo comos e fosse a articulação do joelho. "Ela foi a paciente perfeita para esse procedimento, pois demonstrou bravura e confiança, mesmo sabendo que se tornaria uma menina um pouco diferente. Em breve, ela poderá fazer todas as coisas que as crianças normalmente fazem, incluindo praticar esportes e dançar", afirma o cirurgião Lee Jeys, que liderou a operação em Amelia Eldred, em entrevista para o Tech Times.

Últimas notícias

Comentários