Cuidado com a 'síndrome do coração partido'

O problema costuma afetar mais as mulheres e tem sintomas parecidos com os do infarto

por Da redação com assessorias 29/05/2018 09:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Já ouviu falar na "síndrome do coração partido"? Segundo o geriatra e cardiologista Neif Musse, ela é causada por uma tristeza profunda ou uma emoção negativa muito forte, como o fim de um casamento, a descoberta de uma traição, um acidente ou a perda de um familiar querido. Essa condição costuma ter sintomas parecidos com os do infarto: dor no peito, falta de ar, tontura e enjoo.

Embora a causa seja emocional, ela pode provocar problemas temporários no coração. Descoberta em 1990 por médicos japoneses, a "síndrome do coração partido" costuma apresentar sintomas após uma situação de grande estresse. "É como se o excesso de adrenalina liberada por esse impacto emocional 'partisse o coração'. Na verdade, o ventríloquo esquerdo fica parado na sístole, que é a contração muscular das câmaras cardíacas. Ele não se contrai e acaba assumindo uma forma balonada, que imita a armadilha usada no Japão para capturar polvos. Por isso a doença foi batizada lá de cardiomiopatia de Takotsubo ['tako' significa polvo e 'tsubo' quer dizer pote]", explica o médico.

O especialista alerta que a incidência do problema é maior entre as mulheres, principalmente na fase de pós-menopausa, após os 55 anos. A hipótese é de que isso ocorra pela redução dos níveis de estrogênio e, consequentemente, do seu efeito protetor do endotélio, que é a camada interna das artérias.

Últimas notícias

Comentários