Entenda cinco problemas associados à ansiedade

Síndrome do pânico e TOC são dois exemplos de consequências desse transtorno

por Da redação com assessorias 18/06/2018 09:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Considerado o "mal do século", o transtorno de ansiedade afeta 9,3% dos brasileiros, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS). Além disso, 5,8% da população é acometida de depressão. Segundo o neurologista Leandro Teles, autor do livro O Cérebro Ansioso (editora Alaúde), a ansiedade tem uma quantidade bastante extensa de sintomas que podem manifestar em praticamente todo o corpo.

Abaixo, o especialista comenta cinco consequências do transtorno:

Transtorno de ansiedade generalizada
"Essa é uma das formas mais frequentes de ansiedade patológica, ocorrendo em cerca de 4% da população adulta mundial", diz o neurologista. a ansiedade generalizada pode começar em qualquer idade, mas aparece geralmente em jovens adultos, entre os 20 e 30 anos. "O transtorno é marcado por sintomas crônicos que se manifestam diariamente ou quase diariamente, sendo alguns deles tensão excessiva, irritabilidade e cansaço mental/físico".

Síndrome ou transtorno do pânico
"O transtorno do pânico é uma das ocorrências mais dramáticas conhecidas pela Medicina", comenta Leandro Teles. Segundo ele, o termo é relativamente recente (criado em 1990), mas já foi chamado de vários outros nomes, como coração irritável; astenia (perda de força) neurocirculatória; e síndrome do esforço. "O paciente com transtorno do pânico apresenta uma tendência a ter crises recorrentes, marcadas por muita angústia e sofrimento, além dos sintomas físicos, como taquicardia, falta de ar e formigamento dos membros".

Fobias específicas
De acordo com o especialista, trata-se de um transtorno ansioso muito comum, havendo casos intensos e incapacitantes e outros sem maior gravidade ou de impacto mais sutil. "Fobias são medos exagerados provocados pela exposição a um fator gatilho, ou até pela expectativa da exposição, que gera uma cadeia de eventos ansioso, como sintomas desconfortáveis e comportamento de esquiva e evitação".

Síndrome do estresse pós-traumático
"Também conhecido como transtorno do estresse pós-traumático, os sintomas iniciam depois de uma situação emocionalmente intensa e traumatizante, que geralmente envolve risco de vida ou lesões graves a si ou a pessoas queridas", explica o médico e esceitor. O problema era comum em ex-combatentes de guerras, no passado. "O conceito tem incluído, mais recentemente, quaisquer eventos extremos nos quais a pessoa sentiu-se profundamente ameaçada, horrorizada ou em um estado de franca vulnerabilidade".

Transtorno obsessivo-compulsivo (TOC)
Como mostra Leandro Teles, a realidade do paciente com TOC é bem menos glamurosa e engraçada do que encontramos em séries e filmes, que costumam "romantizar" a doença. "É um dos distúrbios mais frequentes e incapacitantes de que se tem conhecimento. Ele pode ser colocado dentro do grupo de doenças ansiosas, pois a ansiedade é uma marca entre o pensamento intrusivo [obsessivo] e o comportamento a ele associado [compulsivo]". Ele lembra que o transtorno obsessivo-compulsivo pode surgir em qualquer fase da vida, é considerado crônico e oscilante, com fases de piora e melhora.

Últimas notícias

Comentários