Vereadores não encontram problemas nas obras do hospital da Oncomed

Empreendimento está localizado na Serra do Curral, no antigo hospital Hilton Rocha

por Encontro Digital 13/06/2018 14:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Flickr/CMBH/Bernardo Dias/Divulgação
Em visita técnica realizada no dia 12 de junho, vereadores de Belo Horizonte não encontraram problemas nas obras do Hospital Oncológico, da Oncomed (foto: Flickr/CMBH/Bernardo Dias/Divulgação)
Vereadores da Comissão de Meio-Ambiente e Política Urbana da Câmara Municipal de Belo Horizonte (CMBH) e Rodrigo Bedra, presidente da Associação de Moradores do Bairro Mangabeiras, não encontraram problemas nas obras do Hospital Oncológico, do grupo Oncomed, situado na Serra do Curral, no bairro Mangabeiras, região centro-sul de BH, onde funcionava, há 40 anos, a clínica oftalmológica e centro de pesquisas da Fundação Hilton Rocha.

A visita técnica realizada na terça, dia 12 de junho, é resultado de um debate iniciado durante uma audiência pública da comissão. Na ocasião, vereadores, moradores e entidades de proteção ambiental denunciaram supostas irregularidades no empreendimento, como tamanho da área construída em relação ao projeto original, risco de deslizamento de encosta e impactos sobre o meio-ambiente e a qualidade de vida na região. Rebatendo os questionamentos, a Oncomed assegura que a obra está legalizada e que não causará danos.

Situado em área tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o prédio passa por reforma e ampliação, previstas no projeto inicial. Em relação aos impactos da construção de um estacionamento subterrâneo, Rogério Café, gerente da obra, informou durante a visita técnica que o estacionamento já existia e que foi realizado somente um rebaixamento de dois níveis.

Ressaltando que o projeto não foi alterado desde o início da tramitação na Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), há nove anos, o arquiteto Flávio Carsalade, responsável pelo projeto do Hospital Oncológico, afirmou que será feito um desaterro no subsolo, mas que não serão necessárias implosões. Ele garantiu que não haverá risco de barulho, transtornos ao trânsito e ou poeira, pois a retirada de detritos está sendo feita por meio de caminhões. Carsalade salientou, também, que o projeto mostra uma preocupação com a caracterização do território e que, por isso, o prédio foi pensado para ter jardins nos terraços. Para o arquiteto, o empreendimento proporcionará uma valorização dos imóveis da região.

Medidas compensatórias

O hospital especializado em Oncologia disponibilizará 220 leitos, com 80 mil atendimentos médicos por ano, incluindo pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). O projeto prevê a reforma do antigo Hilton Rocha e a ampliação de uma nova ala. A previsão é que as obras, iniciadas em junho de 2017, sejam entregues até dezembro de 2019.

Conforme explicou Roberto Porto Fonseca, diretor da Oncomed, durante a visita técnica, o hospital será o único de Belo Horizonte a oferecer tecnologia de ponta aos pacientes do SUS. Na oportunidade, o gestor solicitou o apoio dos vereadores para que seja efetivado, inicialmente, o credenciamento da radioterapia para o Sistema Único de Saúde.

De acordo com o projeto, serão 36 mil m² de área construída, a um custo estimado em R$ 80 milhões, e aproximadamente 280 vagas de estacionamento. Como medidas compensatórias, serão construídos um corredor ecológico, que ligará o Parque do Taquaril à Mineração Lagoa Seca, além de uma ciclovia.

(com Superintendência de Comunicação Institucional da CMBH)

Últimas notícias

Comentários