Filha do cantor Ivo Meirelles aguarda retratação pública da C&A

Vitória Meirelles foi vítima de racismo numa loja da marca no Rio de Janeiro

por João Paulo Martins 27/07/2018 08:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram/vitmeirelles/Reprodução
Vitória Meirelles, filha do cantor Ivo Meirelles, foi vítima de racismo numa loja da C&A no centro do Rio de Janeiro e aguarda uma retratação pública da famosa marca (foto: Instagram/vitmeirelles/Reprodução)
Depois de ter publicado um desabafo no Facebook na segunda, dia 23 de julho, denunciando ter sido vítima de racismo na filial da C&A na rua do Ouvidor, no centro do Rio de Janeiro (RJ), a deisgner de moda Vitória Meirelles, de 23 anos, filha do cantor e compositor Ivo Meirelles, de 56, ex-presidente da escola de samba Mangueira, agora, quer uma retratação pública da famosa loja de departamentos. A informação foi divulgada pelo jornalista Leo Dias, colunista do jornal carioca O Dia e apresentador do programa Fofocalizando, do SBT/Alterosa.

"Nós, da C&A, repudiamos qualquer tipo de preconceito, seja ele por raça, cor e/ou religião. O respeito às pessoas e à diversidade faz parte dos nossos valores e enxergamos a moda como uma plataforma de expressão da individualidade de cada um, à sua maneira. Trabalhamos para que a experiência dos nossos clientes na loja seja sempre a melhor possível. Por isso, estamos averiguando o fato para tomar as medidas cabíveis", diz o comunicado enviado ao Leo Dias pela empresa, após a divulgação do ocorrido – a jovem teria sido seguida e observada por uma funcionária enquanto se encaminhava para o provador.

Vitória Meirelles chegou a fazer um pré-registro de boletim de ocorrência no serviço de Delegacia Online da Polícia Civil do Rio de Janeiro, na terça (24). De acordo com o colunista, a assessoria de imprensa do cantor Ivo Meirelles recebeu uma ligação de representantes da C&A convidando a filha dele para visitar a sede da empresa em São Paulo (SP). Mas, ela não aceitou, já que seu desejo é que a famosa marca faça uma retratação pública.

"Eles disseram que lamentavam muito, que não era a política da loja esse tipo de comportamento e me convidaram para conhecer a sede da C&A em São Paulo. Para mim, eles visivelmente estavam buscando uma forma de tentar abafar o caso entre nós, após tanta repercussão nas redes e na mídia. Eu estava muito nervosa, tinha chorado de novo porque foi um caso que mexeu muito comigo, disse que poderia pensar nesse convite mais para frente, mas aquele não era o momento para isso. Depois dessa conversa, minha mãe explicou a eles que uma retratação pública seria muito bem-vinda, principalmente para mostrar que a marca não compactuava com a ação da segurança", conta Vitória em entrevista para Leo Dias.

Agora, a designer de moda diz que está aguardando que seu caso seja recebido por um delegado, para dar que a justiça seja feita. "Não há dinheiro que pague o meu constrangimento. Eu só quero que essas situações parem", completa a filha de Ivo Meirelles.

Últimas notícias

Comentários