Medo do desemprego cresce no Brasil, diz CNI

Índice chegou ao maior patamar já registrado desde 1996

por Encontro Digital 09/07/2018 15:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Segundo levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), poucas vezes nos últimos 22 anos os brasileiros ficaram tão preocupados com o emprego. O Índice do Medo do Desemprego subiu para 67,9 pontos em junho, valor que está 4,2 pontos acima do registrado em março, e está entre os maiores da série histórica iniciada em 1996. Só em maio de 1999 e em junho de 2016, o indicador alcançou 67,9 pontos, informa a pesquisa divulgada nesta segunda, dia 9 de julho.

Ainda conforme a CNI, o índice está 18,3 pontos acima da média histórica, que é de 49,6 pontos. O indicador varia de zero a 100 pontos. Quanto maior o índice, maior o medo do desemprego.

O levantamento mostra ainda que o medo do desemprego cresceu mais para os homens e pessoas com menor grau de instrução. Entre março e junho, o indicador subiu 5,6 pontos para os homens e 2,8 pontos para as mulheres. Para os brasileiros que têm até a quarta série do ensino fundamental, o índice subiu 10,4 pontos entre março e junho e alcançou 72,4 pontos. Entre os que tem educação superior, o índice subiu 0,6 ponto e passou de 59,9 para 60,5 pontos.

De acordo com a CNI, a satisfação com a vida também diminuiu. O índice de satisfação com a vida caiu para 64,8 pontos, o menor nível desde junho de 2016, quando alcançou 64,5 pontos. O indicador varia de zero a 100 pontos. Quanto menor o indicador, menor é a satisfação com a vida.

A queda do índice de satisfação com a vida foi maior na região sul, onde o indicador caiu 5,3 pontos entre março e junho e ficou em 63,8 pontos. Nas demais regiões, a retração foi inferior a 2,3 pontos. Nos estados do sul, o índice é menor do que o das demais regiões.

O levantamento ouviu duas mil pessoas em 128 municípios entre os dias 21 e 24 de junho.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários