Segundo IBGE, desemprego caiu no segundo trimestre de 2018

Taxa de desocupados passou de 13,1% para 12,4%

por Encontro Digital 31/07/2018 10:23

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcello Casal/Agência Brasil/Divulgação
(foto: Marcello Casal/Agência Brasil/Divulgação)
Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua, divulgados nesta terça, dia 31 de julho, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o número total de desempregados no Brasil caiu de 13,7 milhões no primeiro trimestre deste ano para 13 milhões no segundo trimestre. De um período para o outro, houve queda de 723 mil pessoas na população desocupada, ou seja, de 5,3%.

Na comparação com o segundo trimestre do ano passado, também houve queda no número de desocupados: 520 mil pessoas a menos ou 3,9%.

A taxa de desemprego foi outro indicador que apresentou queda nesta edição da pesquisa do IBGE, passando de 13,1%, no primeiro trimestre, para 12,4%, no segundo. No mesmo período do ano passado, a taxa era de 13%.

A população ocupada foi registrada em 91,2 milhões de pessoas, crescimentos de 0,7% (mais 657 mil pessoas) em relação ao trimestre anterior e de 1,1% (mais um milhão de pessoas) na comparação com o segundo trimestre de 2017.

Informalidade

Apesar disso, o crescimento do contingente de ocupados foi puxado pelos trabalhadores sem carteira assinada e aqueles que trabalham por conta própria. O número de empregados com carteira de trabalho assinada no setor privado, de 32,8 milhões, manteve-se estável em relação ao primeiro trimestre e caiu 1,5% (menos 497 mil pessoas) na comparação com o segundo trimestre de 2017.

O número de empregados sem carteira (11 milhões) cresceu 2,6% (mais 276 mil pessoas) em relação ao trimestre anterior e 3,5% (mais 367 mil pessoas) em relação ao segundo trimestre do ano passado.

A categoria dos trabalhadores por conta própria (23,1 milhões de pessoas) ficou estável em relação ao trimestre anterior e cresceu 2,5% (mais 555 mil pessoas) na comparação com o segundo trimestre de 2017.

Rendimento

O rendimento médio do brasileiro ficou em R$ 2.198 no segundo trimestre deste ano, informa o IBGE. O valor éestá relativamente estável tanto em relação ao trimestre anterior quanto na comparação com o segundo trimestre do ano passado.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários