Publicidade

Estado de Minas GASTRô | TENDêNCIA

12 locais para encher seu growler em BH

A capital mineira está repleta de growler stations; saiba mais sobre estes estabelecimentos


postado em 26/03/2018 15:34

Adão Alves Luiz, um dos gerentes de compras do Verdemar:
Adão Alves Luiz, um dos gerentes de compras do Verdemar: "Trouxemos a opção de uma cerveja viva quando isso ainda não era tão comum por aqui" (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Os growlers estão na boca dos amantes das cervejas artesanais. Os mais entendidos no assunto não abrem mão de circular por aí com o seu. Com nome esquisito – que em tradução livre do inglês significa ranzinza –, os growlers são recipientes de vidro, cerâmica, plástico ou alumínio nos quais se pode levar chope para qualquer lugar. Foram inventados no final do século XIX pela cervejaria americana Otto Brothers Brewery (atual Wildlife Brewing). Nessa época, era comum ver garotos circulando com os minibarris pelas ruas de Nova York, buscando as cervejas que seus pais beberiam à noite ao voltarem do trabalho.

Hoje, a realidade é outra. Inspirados nessa cultura americana, inúmeros endereços em BH oferecem o serviço de "encha sua própria garrafa de cerveja". Além de exibir biqueiras que derramam diversos tipos de chope fresco, os estabelecimentos vendem seus próprios growlers, com tamanhos, materiais e até estampas personalizadas. A Backer, por exemplo, que há três anos oferece esse tipo de serviço, tem minibarris de 1 a 1,8 litro feitos de vidro ou plástico. Entre as ilustrações, faz sucesso a da Capitão Senra, um dos rótulos mais conhecidos da cervejaria. "É uma forma ecológica de consumir cerveja, já que os minibarris são retornáveis. Além disso, é mais barato e facilita o transporte", diz o responsável pelo marketing Rhaner Lebbos. Para ele, os growlers também viraram uma ótima opção de presente. "Tem gente que faz até coleção." Outro ponto positivo é que o cliente pode levar para casa vários tipos de bebida em menor quantidade. Além do Templo Cervejeiro, localizado no Olhos D’Água, onde são encontrados 14 tipos de chopes diariamente, a Backer conta com mais cinco growler stations espalhadas pela cidade.

Munir e Rhaner Lebbos, da Backer:
Munir e Rhaner Lebbos, da Backer: "É uma forma ecológica de consumir cerveja, já que os minibarris são retornáveis. Além disso, é mais barato e facilita o transporte", diz Rhaner (foto: Violeta Andrada/Encontro)
Novata no mercado, a Sátira Cervejaria, que abriu sua primeira growler station em janeiro, no Sion, anda conquistando a clientela pela criatividade com que estampa seus recipientes. Para o lançamento, foram confeccionados 250 growlers exclusivos, com desenhos do artista plástico e designer gráfico Vinil Cius. Logo em seguida, veio a linha inspirada em memes da internet, como o do presidente Trump usando uma máscara de lutador mexicano. "Queremos investir em uma maneira mais descolada e informal de tratar a cerveja", diz Eduardo Gomes, sócio-fundador da Sátira. Para deixar a vida do cliente ainda mais fácil, a cervejaria tem o sistema de autoatendimento, o MyTapp, que permite o consumo de qualquer quantidade das seis opções disponíveis na casa. Semanalmente, há também duas bebidas de fornecedores da região convidados. "Tentamos fidelizar nossos clientes não só com a qualidade dos produtos, mas também com propostas e estilos de serviço que melhor lhes atendam", explica Eduardo.

Já o Verdemar, pioneiro no ramo de supermercados a instalar uma growler station, em 2016, trabalha exclusivamente com chopes da Wäls. São 10 biqueiras que, de acordo com a produção e disponibilidade da fábrica, abastecem os clientes da rede. "Trouxemos a opção de uma cerveja viva quando isso ainda não era tão comum por aqui" afirma o gerente de compras Adão Alves Luiz. Na unidade da avenida Nossa Senhora do Carmo, além de experimentar as bebidas, os clientes contam com um beer sommelier à disposição para esclarecer dúvidas e dar indicações. "Possibilitamos tudo de uma forma cômoda e prática para o consumidor e, em consequência, abrimos espaço para uma nova forma de socialização, muito mais gostosa", diz Adão.

Thiago e Matheus Oliveira, proprietários da Go Growler:
Thiago e Matheus Oliveira, proprietários da Go Growler: "Procuramos oferecer um chope o mais fresco possível, com qualidade de conservação e preço mais em conta", diz Thiago (foto: Violeta Andrada/Encontro)
Nem só de gigantes, no entanto, vive o mercado. A pequena Go Growler também se destaca. Sob a direção dos irmãos Thiago e Matheus Oliveira, a loja já é ponto de referência entre os devotos da loira gelada. São oito biqueiras que vendem diferentes marcas belo-horizontinas, já que eles próprios não são produtores. "Procuramos oferecer um chope o mais fresco possível, com qualidade de conservação e preço mais em conta", afirma Thiago. Quando idealizaram o modelo de negócio, os Oliveiras procuraram referências, inclusive em outras cidades. "Viajamos para Curitiba, onde esse mercado já é mais consolidado", diz Matheus. Com pouco mais de um ano da inauguração da loja no Buritis, os sócios vão abrir, em parceria com o Chopp da Fábrica, uma nova unidade na Pampulha até o final do mês. Já tem gente enchendo seu growler para comemorar a notícia.

12 locais para encher o seu growler em Belo horizonte

Backer Growler Station
Av. do Contorno, 6.061 - Funcionários, (31) 3288-3068

BrewHouse
Av. Prudente de Morais, 513 - Santo Antônio, (31) 2551-2552

Empório Veredas
R. Alberto Alves de Azevedo, 117A - Castelo, (31) 3681-4356

Go Growler
R. José Rodrigues Pereira, 882, Buritis, (31) 3378-3124

Mamãe Bebidas
Av. do Contorno, 1.955 - Santa Tereza, (31) 3213-9494

Mestre-Cervejeiro

R. Fernandes Tourinho, 1.010 - Lourdes, (31) 2516-8774

Protótipo Bar
R. Professor Galba Veloso, 206 - Santa Tereza, (31) 3566-0396

Sátira
Av. Nossa Senhora do Carmo, 899 - Sion, (31) 3166-8999

Seu Romão
R. São Romão, 192 - Santo Antônio, (31) 3786-4929

Uaimií Pub
R. Grão Mogol, 1176 - Sion, (31) 3285-3435

Verdemar
Av. Nossa Senhora do Carmo, 1900 - Sion, (31) 2105-0101
Av. Professor Mário Werneck, 1.500 - Buritis, (31) 3313-4223

Wäls Growler Station
R. Padre Leopoldo Mertens, 1.460 - São Francisco, (31) 3443-2811

Dicas para cuidar do seu growler

  • Mantenha resfriado e tampado, mesmo quando vazio

  • Logo após o consumo, lave-o, de preferência, com água morna

  • Deixe o growler escorrer e só o guarde quando estiver bem seco

  • Não deixe que os restos do chope sequem, pois podem causar mofos

  • Guarde o líquido no recipiente por, no máximo, sete dias, mesmo resfriado

  • O chope deve ser consumido em 24 horas após aberto

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade