Plantas Alimentícias Não Convencionais são uma boa pedida nas receitas

Flor de abóbora, ora-pro-nobis e azedinha são exemplos de vegetais ricos em nutrientes e ainda pouco conhecidos

por Marcelo Fraga 24/07/2018 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Beto Magalhaes/EM/D.A Press
A ora-pro-nobis é uma Planta Alimentícia Não Convencional (Panc) muito usada na culinária mineira, sendo servida com frango ou com feijão (foto) (foto: Beto Magalhaes/EM/D.A Press)
Há cerca de 10 mil anos, os seres humanos começaram a plantar vegetais para consumo próprio. Isso foi fundamental para o desenvolvimento do homem, segundo os historiadores. Eles concordam que foi a agricultura que fez com que nossos ancestrais deixassem de ser nômades e se fixassem em determinadas regiões. Como resultado, frutas, verduras e legumes passaram a estar presentes na dieta da população, sobretudo as folhas, entre as quais, alface e couve.

Mesmo passados tantos anos de plantio e consumo, ainda existem vegetais comestíveis que são pouco conhecidos e, consequentemente, pouco utilizados pelas pessoas, mesmo sendo saborosos e tendo valor nutricional igual ou, até mesmo, superior às verduras e legumes mais populares. É o caso das chamadas Plantas Alimentícias Não Convencionais (Pancs), incluindo as folhas da abóbora e o ora-pro-nobis (típica do interior de Minas Gerais). De certa forma, esses vegetais até são utilizados em muitas receitas típicas da gastronomia mineira, mas, ainda assim, seguem desconhecidos da maioria dos consumidores.

Segundo a chef e ambientalista Marilene Martins, especialista em Pancs, alguns fatores fizeram com que as Pancs passassem a ter uma baixa popularidade. "Esses vegetais são encontrados facilmente na natureza, em terrenos baldios e nos antigos quintais. No passado, foram muito consumidos, mas isso diminuiu à medida que a urbanização afastou as pessoas do contato com o meio-ambiente, fazendo com que as Pancs ficassem, de certo modo, esquecidas", comenta a especialista.
Mercado Livre/Reprodução
A azedinha é outra Panc rica em nutrientes, usada por pessoas de cidades do interior, mas que ainda é pouco conhecida da população brasileira (foto: Mercado Livre/Reprodução)

Tal como as verduras tradicionais, os vegetais não convencionais também possuem muitos nutrientes. Entre eles, a especialista cita as vitaminas A, B, C, D e E, além de fibras, proteínas e ferro. Outro benefício de consumir esse tipo de planta, segundo Marilene Martins, é que, por não serem cultivados em larga escala, quase sempre estão livres de agrotóxicos. "Sem contar o benefício nutricional, as Pancs também ajudam a quebrar a monotonia da alimentação diária, agregando novos sabores, cores e texturas", diz a chef.

Ainda conforme Marilene, a melhor forma de adquirir esse tipo de alimento para consumir com segurança é procurar em feiras de produtos orgânicos, pois não são tão fáceis de serem identificadas em meio à vegetação tradicional – podem ser confundidas com outras folhas, inclusive tóxicas.

As Plantas Alimentícias Não Convencionais são muito versáteis, ou seja, permitem o consumo de modos variados, tanto em forma de suco, como cozidas, refogadas ou, até mesmo, in natura. As folhas da abóbora e o ora-pro-nobis, por exemplo, vão muito bem se preparadas junto com o frango, como orienta a chef mineira. Entretanto, é importante procurar se informar sobre a planta escolhida, pois algumas devem ser obrigatoriamente cozidas para que sejam eliminadas possíveis substâncias tóxicas.

Abaixo, a especialista cita outras espécies de Pancs e dá sugestões de preparo:

  • Urtiga: refogada com frango

  • Folhas de abóbora: refogada pura

  • Flores de abóbora: à milanesa

  • Peixinho da horta ou lambari da horta: empanado no fubá e frito

  • Flores de capuchinha vermelhas ou amarelas: salada

  • Azedinha: salada

  • Cará-moela: ensopado ou purê

  • Umbigo de bananeira: recheio de quitutes, como o pastel

  • Bertalha: saladas, caldos verdes e recheio de quiches e bolinhos

Últimas notícias

Comentários