Festival de Tiradentes 2018 celebra os 300 anos da cidade histórica

Privilegiando chefs mineiros, evento completa 21 edições neste ano

por Geórgea Choucair 10/08/2018 16:46

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
Com apenas 7 mil habitantes, Tiradentes se transforma para receber os turistas: a gastronomia espalha-se pelas ruas de pedra (foto: Divulgação)
A cidade que representa o reduto da culinária mineira tem um motivo a mais para brindar o seu 21º Festival de Cultura e Gastronomia. Tiradentes completa 300 anos em 2018 e seu mais tradicional festival vai comemorar esse momento com grandes chefs mineiros. O evento faz parte da Expedição Fartura, que já percorreu o Brasil inteiro buscando informações sobre chefs, produtores, produtos, ingredientes, mercados e receitas. "Tiradentes é um exemplo de desenvolvimento por meio da gastronomia, em razão da qualidade e número de restaurantes", afirma Rodrigo Ferraz, idealizador da Fartura. O reconhecimento da mídia e do mercado da culinária na região, diz, mostra a força da cidade, de apenas 7 mil habitantes.

Com boa estrutura para receber os turistas, Tiradentes tem temperatura muito agradável neste período do ano, o que confere mais charme ao festival e aos visitantes que vão respirar a gastronomia pelas ruas da cidade. O evento é dividido em três espaços: Praça da Rodoviária, Praça do Conhecimento e Praça Campo das Vertentes, além de aulas teóricas e interativas, cozinhas ao vivo, restaurantes e eventos especiais, realizados por parceiros locais.

Edson Teixeira/Divulgação
O chef mineiro Rodrigo Moreno Zarife, do bristrô Ro.ZA, vai fazer sua tradicional paella gigante: "Antes as festas aconteciam muito nas pousadas. Hoje o evento está mais inclusivo, nas ruas" (foto: Edson Teixeira/Divulgação)
É também uma oportunidade para conhecer e experimentar receitas e produtos de chefs e produtores mineiros, como a coxinha de carne de sol com requeijão de raspa, feita pelo restaurante Caê, no Carmo. O restaurante vai ser montado no Largo do Chef e vai servir dois petiscos, um sanduíche e um prato de comida mineira. Tudo elaborado por Caetano Sobrinho. "Sonho o ano inteiro com o festival. É a chance que temos de trocar experiências sem a pressão do dia a dia. É uma grande farra para nós", afirma Caetano, que vai há 12 anos para Tiradentes.

Proprietário do bistrô Ro.ZA, especializado em cozinha brasileira, contemporânea e internacional, no Santa Lúcia, O chef mineiro Rodrigo Moreno Zarife vai levar sua tradicional paella gigante para o Largo do Chef. Ele vai ensinar a fazer o prato na cozinha ao vivo e vender lagostas grelhadas. No ano passado, foram mais de 500 quilos de lagostas comercializadas pelo Ro.ZA. "O público é de altíssimo nível e o festival melhora a cada ano", afirma Rodrigo, que está há 17 anos em Tiradentes. "Antes, as festas aconteciam muito nas pousadas. Hoje o evento está mais inclusivo, nas ruas."

Leandro Miranda/Divulgação
Caetano Sobrinho, proprietário do Caê: "Sonho o ano inteiro com o festival. É a chance que temos de trocar experiências sem a pressão do dia a dia" (foto: Leandro Miranda/Divulgação)
A choperia Albanos terá um estande no Largo da Rodoviária e o gerente de gastronomia, Márcio Santoro, dará uma aula sobre pururuca (torresmo) no primeiro fim de semana. "O festival é uma senhora referência na discussão sobre a gastronomia no país", afirma Márcio, que vai ao evento há 17 anos como convidado, contratado ou voluntário. A portuguesa Tereza Baltazar, dona do restaurante português Taberna Baltazar, na Serra, participa pela primeira vez com um prato no festival. "É uma boa oportunidade para divulgar o restaurante e aprender com os outros cozinheiros", diz Tereza. Ela é frequentadora da cidade como turista. "O evento é bom para quem organiza e participa. Tiradentes é charmosa, com boas pousadas e restaurantes", afirma.

O primeiro Festival Fartura, em 2012, saiu de Tiradentes e percorreu Minas Gerais. Desde então, já foi a 26 estados e para o Distrito Federal. Neste ano, os festivais acontecem do sul ao norte, em todas as regiões do Brasil. Já passou por Porto Alegre, em maio, e passa por São Paulo (4 e 5 de agosto), Tiradentes (24 de agosto a 2 de setembro), Belo Horizonte - nas versões tradicional (22 e 23 de setembro) e Kids (29 e 30 de setembro), Brasília (sem data definida), Fortaleza (10 e 11 de novembro) e Belém (26 e 27 de janeiro de 2019). "O sucesso da expedição se deve ao fato de a gente ver in loco toda a riqueza que o Brasil tem na gastronomia", avalia Rodrigo Ferraz. "O Brasil é um país continental. Cada estado ou região é como se fosse um país."

Mas a Plataforma Fartura expandiu suas fronteiras e foi atrás de suas origens, em Portugal. No início de novembro, acontece a segunda edição do Festival Fartura - Comidas do Brasil em Lisboa. Rodrigo Ferraz conta que já recebeu convites para levar o Fartura a Espanha, França e Estados Unidos. "Queremos, no entanto, nos fortalecer em Portugal para depois ir para outros países. Mas já ficamos felizes com a consulta", diz.

O fartura em números

  • Já passou por 26 estados e pelo Distrito Federal

  • Mais de 70 mil quilômetros rodados

  • Mais de 200 cidades visitadas

  • Mais de 500 personagens da culinária brasileira entrevistados

  • Mais de 1.000 apresentações culturais

  • Mais de 700 mil pessoas em 20 edições

21º Festival de Cultura e Gastronomia de Tiradentes


Data: 24 de agosto a 2 de setembro
Local: Tiradentes/MG
www.farturabrasil.com.br
facebook.com/farturabrasil
instagram.com/farturabrasil

Últimas notícias

Comentários