Saiba mais sobre a Bichectomia, a cirurgia do momento

Tendência dos rostos mais finos leva homens e mulheres ao bloco cirúrgico para diminuir as bochechas e ficar mais bonitos e joviais

por Carolina Cotta 22/03/2017 14:22

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Divulgação
A atriz americana Angelina Jolie: as bochechas proeminentes ficaram no passado (foto: Divulgação)
O nome soa estranho: bichectomia. Mas pouco importa para quem conseguiu se despedir das bochechas com o procedimento que caiu no gosto das celebridades e ganha cada vez mais adeptos também em Minas Gerais. A cirurgia consiste na retirada da bolsa gordurosa de Bichat, gordura de Bichat, ou simplesmente bola de Bichat, em referência a Marie François Xavier Bichat, anatomista francês que descreveu a estrutura que protege os nervos e vasos da face, e em algumas pessoas deixa a aparência de um rosto mais largo. O resultado é um sutil afundamento entre as maçãs do rosto e a mandíbula, tornando-a mais atraente, adulta, delicada e delineada. É a face do momento.

Não se trata de algo novo. Segundo o cirurgião plástico Rodrigo Lopes, a técnica foi descrita em 1980 e é mundialmente consolidada no meio científico, apesar de não muito difundida no Brasil. "O interesse das brasileiras deu-se a partir da influência da mídia, da busca por padrões de beleza estabelecidos e pela globalização das redes sociais", afirma ele. "Muitas celebridades internacionais e nacionais optaram por sua realização para obter um contorno facial que projetasse um padrão de beleza descrito desde o Antigo Egito." De acordo com Lopes, a propagação das selfies e suas variantes está diretamente ligada ao aumento dos procedimentos estéticos faciais, sejam cirúrgicos ou não.

Raphael Richard/Divulgação
O ex-modelo Flávio Mendonça passou pelo procedimento: "Não tenho o preconceito de achar que essas técnicas atendem apenas as mulheres" (foto: Raphael Richard/Divulgação)
Os estudos das linhas que proporcionam a harmonia facial e ditam os padrões de beleza e jovialidade têm algumas características comuns. Segundo o especialista, a proeminência da região malar, o contorno mandibular bem marcado e a projeção do queixo seguem pontos que definem um triângulo invertido na face com o aparecimento de uma leve depressão da bochecha. "A gordura de Bichat, quando aumentada, pode alterar o formato do rosto, deixando-o mais arredondado", diz Rodrigo Lopes. "E sabe-se que seu formato pouco se altera com a idade e não se reduz mesmo com perdas acentuadas de peso."

Estrelas como Kim Kardashian, Megan Fox, Victoria Beckham e, principalmente, Angelina Jolie teriam passado pelo procedimento e ajudaram a torná-lo mais conhecido. No Brasil, uma das referências do efeito que se busca com a bichectomia é a apresentadora do Jornal Nacional, Renata Vasconcellos. Até o cantor fluminense Claucirlei de Souza, conhecido como Buchecha, se rendeu à operação - e deve estar atrás de um novo apelido. O ex-modelo Flávio Mendonça, de 38 anos, atualmente corretor de imóveis nos Estados Unidos, também passou pelo procedimento. Incomodado com a bochecha, que frequentemente mordia enquanto estava comendo, ele descobriu na internet a possível solução para o seu problema. Quando lhe disseram que era uma intervenção pequena, ficou animado. "Achei interessante exatamente porque mudava pouco e tenho receio de cirurgias que podem modificar muito os traços", afirma. "E não tenho o preconceito de achar que essas técnicas atendem apenas as mulheres." Flávio ficou bastante satisfeito com o rosto mais fino.

Divulgação
Izabel Kulkamp, mulher do jogador Giovanni Augusto, depois da cirurgia: "É algo sutil, de resultado delicado" (foto: Divulgação)
O cirurgião plástico Jorge Menezes explica que, quando se é jovem, o rosto tem um aspecto de triângulo de cabeça para baixo. "Envelhecer é inverter esse triângulo da jovialidade", afirma. "A retirada da bola de Bichat permite, justamente, manter esse triângulo invertido, dando mais projeção ao osso facial." As bolas de Bichat têm a função de proteger estruturas neurovasculares da face. Também evitam o colabamento das bochechas (que elas entrem em contato) durante a amamentação. "Talvez por isso sejam proporcionalmente maiores nos lactentes", explica a cirurgiã plástica Patrícia Lombardi. Segundo ela, na adolescência a estrutura torna-se ainda menor em relação à face, proporcionando um gracioso afundamento entre as maçãs do rosto e a mandíbula. O tamanho da bola de Bichat é geneticamente determinado, sendo maior em asiáticos. "Quando adulta, a pessoa tem a sensação de ter uma face redonda demais, infantilizada. Ou mesmo a impressão de estar gorda, apesar de magra", diz.

Mas, em que contexto convencionou-se que bochechas menores são mais bonitas? Segundo Patrícia Leite, o padrão de beleza varia nos continentes: "Cada povo, influenciado por suas culturas, busca determinadas características faciais, mais ou menos pronunciadas". Para ela, nas latinas a busca é pelo realce de elementos estéticos que denotem força, atuação, coragem e sensualidade, o que vai ao encontro de um comportamento tipicamente masculino. A ideia é mostrar a mulher atuante e influente, que compete com o homem de igual para igual no mercado. "Essa busca da sensualidade no ‘masculino’ reflete, ainda, um comportamento mais libertino, livre e ousado", diz a médica.

Rogério Sol/Encontro
A propagação das selfies está ligada ao aumento dos procedimentos estéticos faciais, de acordo com o cirurgião plástico Rodrigo Lopes: "O interesse das brasileiras deu-se a partir da influência da mídia" (foto: Rogério Sol/Encontro)
O afundamento da região da face entre as proeminências dos arcos zigomáticos e do ângulo da mandíbula reforça tais projeções ósseas. Tal efeito é conseguido não só com a bichectomia. Outro método associado que aumenta o contraste entre projeção e depressão, contribuindo para evidenciar relevos, é o preenchimento da região dos arcos e também do ângulo da mandíbula. "A cirurgia é o único procedimento para diminuir as bolas de Bichat, já que essa estrutura é uma gordura profunda que não responde ao emagrecimento ou a outros tratamentos", explica Patrícia Leite. Uma vez removida, não há risco de essa gordura voltar, nem necessidade de qualquer manutenção.
 
Izabel Kulkamp, de 24 anos, está desfilando os resultados. "Depois da gestação, minhas bochechas não diminuíram e meu rosto estava mais arredondado", conta. Ela tinha conquistado boa forma depois do parto, mas as bochechas a incomodavam. Foi quando o cirurgião lhe apresentou o procedimento e ela topou na hora. A cirurgia foi em fevereiro deste ano e conquistou a mulher do jogador de futebol Giovanni Augusto, ex-Atlético Mineiro (atualmente no Corinthians). "Foi uma realização. Eu me sinto sexy e magra. Quem já me conhecia percebe que mudei algo, mas não identificam de imediato. É algo sutil, de resultado delicado", diz.

Últimas notícias

Comentários