As qualidades dos bairros Vila da Serra e do Vale do Sereno na opinião dos moradores

Proximidade com a natureza, amizade da vizinhança, ambiente tranquilo e boa oferta de serviços estão em alta entre quem vive na região

por Geórgea Choucair 25/04/2017 14:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ronaldo Dolabella/Encontro
O advogado Lucas Galuppo desfruta da natureza e do canto de passarinhos com a mulher, Tatiana, e a filha, Valentina: "Resgato um pouco da minha infância" (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Apesar de Vila da Serra e Vale do Sereno serem dois dos bairros mais novos de Nova Lima, já oferecem uma completa gama de serviços e boas opções gastronômicas a seus moradores. Conservam, no entanto, um ar interiorano, com vista privilegiada para as montanhas, canto de pássaros e clima de amizade entre a vizinhança. São essas características que atraem casais com filhos, recém-casados e mesmo solteiros à região. "Priorizo tudo por aqui, desde as compras até a socialização", afirma o representante comercial Jorge Alagia, que mora há seis anos no Vila da Serra com a mulher e o casal de filhos. Ele promove encontros com os amigos no seu apartamento ou na área de lazer do prédio. Mensalmente, Jorge reúne uma confraria masculina com 25 amigos para comer, beber e bater papo. São comuns ainda comemorações no edifício em datas como Páscoa, Natal, Dia dos Namorados e Halloween.

É o segundo apartamento que Jorge mora com a família no Vila da Serra. "Não quero sair daqui. O clima é favorável, o astral é bom e as pessoas são jovens e alegres", diz. Das janelas do 24º andar, eles não se cansam de admirar a vista das montanhas, apesar de estarem na avenida mais movimentada do bairro, a alameda Oscar Niemeyer. Sua mulher, a administradora de empresas Daniella Alagia, faz cursos de gastronomia em escola localizada em frente ao prédio onde moram. Ela resolve muitas das pendências do dia a dia a pé pelo bairro, como compras no sacolão, em drogarias ou lojas, além de refeições em restaurantes. A manicure atende em domicílio e tem diversas clientes no condomínio. Até sua cachorrinha, a shih-tzu Cindy, é bem atendida no bairro, já que frequenta a pet shop em frente ao edifício. E Jorge e Daniella nem precisam sair de casa para buscá-la. Ela é entregue na porta.

Paulo Márcio/Encontro
O representante comercial Jorge Alagia mora com a mulher, Daniella, o casal de filhos, Antônio e Manuella, e a shih-tzu Cindy há seis anos na região: "O clima é favorável, o astral é bom e as pessoas são jovens e alegres" (foto: Paulo Márcio/Encontro)
Os filhos do casal, Antônio Victor, de 15 anos, e Manuella, de 7, estudam na unidade de Nova Lima do Colégio Santo Agostinho. "Vou a pé encontrar os amigos nos restaurantes de comida japonesa e sanduíches", diz Antônio. Manuella também só precisa atravessar a rua para ir às aulas de inglês. O transporte para o colégio é feito mediante rodízio de amigos da vizinhança.

O canto dos pássaros que o advogado Lucas da Costa Galuppo costumava escutar quando criança no viveiro da casa da família, em Curvelo, hoje é ouvido nas redondezas do seu apartamento no Vila da Serra. O trinca-ferro e o sabiá são alguns preferidos e estão sempre pelo ar. Ele mora com a mulher, a dermatologista Tatiana Rodrigues de Freitas Galuppo, e a filha, Valentina, de 2 anos, em um condomínio de prédios. "Estamos ao lado de Belo Horizonte, mas parece que moramos em uma floresta", afirma Lucas. "Não parece que estou perto de um grande centro urbano", diz Tatiana. Em agosto chega mais um herdeiro à família, o Matheus. Lucas conta que tem planos de mudar para apartamento maior, mas na mesma região.

Ronaldo Dolabella/Encontro
A chef de cozinha Pâmela Sarkis consegue unir o silêncio e encontros com amigos no edifício onde mora: espaço de lazer favorece a socialização de solteiros (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
A segurança é outro aspecto que chamou a atenção do casal. "Os visitantes precisam passar por duas guaritas, a do condomínio e a do meu prédio", afirma o advogado. Ele faz caminhadas na mata todos os fins de semana. Tatiana faz ginástica na academia do edifício e Valentina tem professor que dá aula de natação na área de lazer. Antes de se mudar para o Vila da Serra, o casal morou por dois anos em um flat no bairro Funcionários. Mas enfrentou barulho de todos os tipos: ambulância, caminhões, crianças na escola e de carga e descarga de supermercado, que acabava atrapalhando o sono. "Aqui, podemos dormir até 11 horas da manhã se quisermos. O som é só de passarinho", diz Tatiana.

A tranquilidade e a vista privilegiada também chamaram a atenção do casal de advogados Silvio Cupertino Marinho e Flávia Morato Teixeira na hora de comprar o apartamento onde moram. Silvio trabalha com direito imobiliário e chegou com o escritório na região há 10 anos. "Aqui era totalmente diferente, mas sempre achei que o mercado era promissor", afirma. Na época, lembra, as ruas eram ocupadas basicamente por hospitais. O casal tem grupo de amigos no prédio e faz encontros mensais, cada vez na casa de um. "A parte social aqui é forte", diz Flávia. "É um novo conceito de moradia. Os prédios são grandes, com área de lazer completa", afirma Silvio. Ou seja, não é preciso sair da portaria para se divertir. A adaptação do casal foi tão rápida que já levaram vários amigos para morarem por lá. "O público é jovem e tem muitos lugares legais para nos encontrarmos", diz Silvio. Tanto é que as reuniões semanais com sua turma de colégio, que antes aconteciam na zona sul de Belo Horizonte, foram transferidas para bares da sua vizinhança.

Ronaldo Dolabella/Encontro
A tranquilidade e a vista privilegiada atraíram o casal de advogados Silvio Cupertino Marinho e Flávia Morato Teixeira: "Sempre achei que o mercado aqui era promissor", diz Silvio (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
O silêncio ajuda a nutricionista e chef de cozinha Pâmela Sarkis a dormir e a preparar os kits de alimentação dos clientes. "Só escuto o som de grilo e cigarra, como se estivesse em uma serra", afirma. Mas, se ela quiser mais barulho, é só descer o elevador. Pâmela faz parte de um grupo no WhatsApp com cerca de 80 moradores do prédio, a maioria solteira. Eles costumam se encontrar na piscina, academia ou em almoços. Aproveitam para permutar serviços. "Já troquei roupas e semijoias por kits de detox", diz a nutricionista.

Pâmela costuma viajar a trabalho duas semanas por mês para São Paulo e Rio de Janeiro. Lá faz planejamento alimentar gourmet para vários grupos e até famosos, como a atriz Camila Pitanga. Na sua ausência, deixa a chave com a vizinha, que molha as plantas e a horta da varanda. "Estamos voltando com hábitos de vizinhança do passado", diz. A nutricionista sempre morou no Anchieta, em Belo Horizonte. Há dois anos, decidiu se mudar para o Vila da Serra. "O preço de apartamentos na zona sul da capital é mais alto", diz. Ela queria um imóvel novo. "Tenho um lado místico forte. Acredito muito em energia e não queria algo que já tivesse sido usado por outra pessoa", diz. E parece que a crença tem funcionado. Prova disso é seu sorriso, astral e tranquilidade enquanto cozinha, sempre dando uma espiadinha pela janela, para observar o verde que toma conta da paisagem.

Últimas notícias

Comentários