Publicidade

Estado de Minas PET

Levar o pet ao pronto socorro pode ajudar a salvar vidas

Equipe qualificada e infraestrutura completa são fundamentais em casos de emergência


postado em 06/05/2019 10:35 / atualizado em 06/05/2019 14:38

O fisioterapeuta Filipe Martins Marques quase perdeu seu cão Tomy, da raça cocker spaniel:
O fisioterapeuta Filipe Martins Marques quase perdeu seu cão Tomy, da raça cocker spaniel: "Já era bem tarde quando ele passou mal. Mas como já tinha boas referências da clínica, fui atendido a tempo e conseguimos salvá-lo" (foto: Violeta Andrada)
A perda de um animal de estimação é um medo que assombra a maioria dos tutores, especialmente em situações inesperadas, que fogem ao controle. A maioria não sabe como agir em casos de emergência. O fisioterapeuta Filipe Martins Marques, de 35 anos, sabe bem o desespero de se deparar diante do improvável. Em junho de 2018, um de seus cães, Tomy, da raça cocker spaniel, de 7 anos, começou a vomitar sangue ininterruptamente. Ele havia engolido algum objeto desconhecido e já apresentava sinais de entrar em choque. O fisioterapeuta não pensou duas vezes e logo se dirigiu a uma clínica veterinária 24h. "Já era bem tarde e à noite tudo é mais difícil. Mas como já tinha boas referências do local, fui atendido a tempo e conseguimos salvá-lo", diz. O animal foi submetido a endoscopia e ultrassom e passou por procedimento cirúrgico para a retirada do objeto.

Saber exatamente aonde ir em casos de imprevistos faz toda a diferença quando se trata de salvar a vida de um animal de estimação. Para ser eficiente, um pronto socorro pet precisa dispor de veterinários capacitados e infraestrutura completa. Isso porque a ausência de aparelhos de raio-x, ultrassom, eletrocardiograma, entre outros, leva a uma espera que pode ser irreversível. "Sem dúvida, o tempo sempre é um grande aliado", diz o veterinário Renato Filhusi Mariano, da Clínica Veterinária Anchieta, onde Tomy foi atendido.

O bancário Alisson Paulinelli Rocha precisa de atendimento especializado para a calopsita Lara: %u201CQuando ela entra em crise, chega a perder 30% do peso em apenas uma semana. Os atendimentos de urgência são fundamentais para mantê-la viva%u201D(foto: Violeta Andrada)
O bancário Alisson Paulinelli Rocha precisa de atendimento especializado para a calopsita Lara: %u201CQuando ela entra em crise, chega a perder 30% do peso em apenas uma semana. Os atendimentos de urgência são fundamentais para mantê-la viva%u201D (foto: Violeta Andrada)
Em Belo Horizonte, a opção de clínicas veterinárias 24h é ampla, o diferencial é a localidade e os serviços disponibilizados. No hospital veterinário São Francisco de Assis, a equipe é treinada para receber o animal em estado crítico. O que significa que quem chega à emergência é imediatamente atendido. "Contamos, inclusive, com veterinário intensivista. E com todas as medicações e materiais necessários para esses casos", diz o veterinário Guilherme Brant Alencar. Ter um banco de sangue sempre abastecido e bloco cirúrgico disponível são quesitos fundamentais. Também é bom verificar se o local possui internação canina e felina, além de área de isolamento para casos especiais.

Em janeiro deste ano, a médica Sandra Lúcia Pinto Ribeiro, de 55 anos, precisou utilizar os serviços do hospital. Após um procedimento cirúrgico feito em outro local, sua gata, Morena, de 5 anos, da raça exótico, teve um rompimento completo da sutura, com evisceração e exposição da cavidade abdominal. "Se não fosse a eficiência do pronto atendimento, sem dúvida ela teria morrido", diz.

A gata Morena, da raça exótico, teve um rompimento completo da sutura, com exposição da cavidade abdominal: %u201CSe não fosse a eficiência do pronto atendimento, sem dúvida, ela teria morrido%u201D, diz a médica Sandra Lúcia Pinto Ribeiro(foto: Violeta Andrada)
A gata Morena, da raça exótico, teve um rompimento completo da sutura, com exposição da cavidade abdominal: %u201CSe não fosse a eficiência do pronto atendimento, sem dúvida, ela teria morrido%u201D, diz a médica Sandra Lúcia Pinto Ribeiro (foto: Violeta Andrada)
Para quem possui animais silvestres a situação é um pouco mais complicada. Isso porque nem todas as clínicas possuem especialistas na área. O bancário Alisson Paulinelli Rocha, de 42 anos, precisa de atendimento especializado quando sua calopsita, Lara, de 2 anos, entra em crise. A ave de apenas 105 gramas, possui alguma doença que faz com que perca o apetite e vomite sem parar. "Quando isso ocorre, ela chega a perder 30% do peso em apenas uma semana. Os atendimentos de urgência são fundamentais para mantê-la viva", diz. A veterinária Marcela Ortiz, da Clínica Veterinária Gutierrez, é especializada na área. "Para salvá-la, precisamos entrar com sonda alimentar e algumas medicações", explica. O atendimento 24h de silvestres é uma novidade na Gutierrez e conta com o aporte da equipe de cirurgiões e anestesistas do local.  


Alguns dos serviços oferecidos pelas clínicas 24 horas


 

  • Cirurgias
  • Endoscopias
  • Internação felina
  • Internação canina
  • Internação de silvestres
  • Eletrocardiograma
  • Raio-x digital
  • Ultrassonografia
  • Laboratório próprio 
  • Especialidades clínicas
  • Área de isolamento para casos especiais
  • Banco de sangue

 

 

Clínicas veterinárias 24h em BH e região

 

 

  • Animal Center av. Portugal, 3871, Itapoã
  • Centro Veterinário Catalão av. Presidente Carlos Luz, 22, Caiçara
  • Consulveter av. José Faria da Rocha, 1.318, Eldorado, Contagem
  • Hospital Veterinário de Urgência-HUV rua Floresta, 72, Floresta
  • Life Hospital Veterinário rua Platina, 165, Prado
  • Med Vet Av. Gen. Olímpio Mourão Filho, 306, Planalto
  • Professor Israel rua Raul Pompéia, 54, São Pedro
  • Referência Animal rua Cascalheira, 82, Venda Nova
  • Santo Agostinho av. Amazonas, 2.218, Santo Agostinho
  • Vida de Cão Rua Boninas, 1.091, Esplanada
  • Vetmaster rua Póvoa de Varzim, 480, Ouro Preto
  • Vetvogas rua Dr. Júlio Otaviano Ferreira, 1.036, Cidade Nova
  • Zoo Médica BH av. Heráclito Mourão de Miranda, 1.060, Castelo 

 











  

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade