Publicidade

Estado de Minas CURIOSIDADE

A aranha caseira de perna comprida é mesmo venenosa?

Saiba se esses animais podem trazer riscos para os humanos


postado em 07/06/2016 16:19

Quem nunca ouviu falar que aquelas aranhas com pernas compridas, comuns na maioria das residências, seria muito venenosa? Pois é, isso não passa de crendice popular. Não se sabe ao certo como surgiu esse boato, mas, primeiramente, é preciso distinguir os dois tipos de animais que se enquadram nessa história: o opilião, um aracnídeo, e não uma aranha, que é totalmente inofensivo; e a Pholcus phalangioides, que é a verdadeira aranha de pernas longas, mas que não leva risco aos humanos.

De acordo com o entomologistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos, o opilião, também conhecido como aranha-fedorenta ou bodum, no Brasil, possui o corpo minúsculo, sem distinção entre tórax e cabeça, e é um aracnídeo que vive em lugares escuros, alimentando-se de animais e vegetais em decomposição. São totalmente inofensivos, não possuem veneno. Quando se sentem ameaçados, costumam soltar um líquido fedorento para afastar os predadores.

Já as aranhas Pholcus phalangioides, mas mais comuns nas residências, usam, sim, veneno, que é injetado por duas presas. Essa característica pode ter originado a crença popular de que seriam extremamente perigosas. Mas, na verdade, como mostram os entomologistas americanos, elas costumam atacar apenas insetos menores, incluindo algumas aranhas que, estas sim, representam perigo para os humanos.

Como o "ataque" de uma Pholcus contra uma pessoa é extremamente raro, não existe estudo sobre a toxicidade de seu veneno para o ser humano. Em 2004, o programa Mythbusters (Caçadores de Mitos), do canal Discovery, resolveu tirar a dúvida sobre a suposta ameaça dessa aranha. O apresentador Adam Savage se deixou morder por uma delas. Segundo ele, a picada causou uma leve sensação de ardor, que durou poucos segundos. Como eles mesmos constataram na época: "myth busted" (mito desbancado).

(com portal Live Science)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade