Ex-monge espanhol está construindo sozinho uma catedral há 53 anos

Justo Gallego Martínez começou a construir o templo religioso em 1963 nas proximidades de Madri

por João Paulo Martins 14/07/2016 16:35

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Vimeo/Great Big Story/Reprodução
Esta incrível catedral está sendo construída há 53 anos por um espanhol, o ex-monge Justo Gallego Martínez, que não conta com a ajuda de nenhuma instituição (foto: Vimeo/Great Big Story/Reprodução)
A cidade de Mejorada del Campo, que fica a 20 minutos de Madri, capital da Espanha, pode não ser muito conhecida, especialmente para os brasileiros, mas guarda uma atração turística única. Numa rua que homenageia o grande escultor espanhol Antonio Gaudí, o visitante encontra uma catedral singular, que está sendo construída há 53 anos pelo ex-monge Justo Gallego Martínez.

Aos 91 anos, o agricultor, que chegou a frequentar o mosteiro Santa Maria de la Huerta, em Soria, entre 1952 e 1961, diz que decidiu dedicar sua vida a Deus quando ainda era jovem. "Fui expulso do mosteiro, porque estava doente com tuberculose e tinham medo que contaminasse o resto da comunidade. Então, retornei para Mejorada, frustrado com o caminho espiritual que seguia. Decidi construir na fazenda que pertencia à minha família, um trabalho em homenagem a Deus. Aos poucos, valendo-me dos bens que herdei, consegui levantar o edifício", conta Justo Gallego no documento que fica exposto na catedral incompleta.

Ele deixa claro que não seguiu nenhum projeto arquitetônico para erguer a catedral, que, pronta, deverá ter 28 cúpulas e 2 mil vidraças. "Está tudo na minha cabeça. Não sou um arquiteto ou construtor ou tenho qualquer formação relacionada a construção civil. Minha educação básica foi interrompida pela eclosão da Guerra Civil Espanhola [1936 a 1939]. Foi o contato com livros sobre catedrais, castelos e outros edifícios importantes que me inspirou. Mas, a minha principal fonte de luz e inspiração tem sido, em primeiro lugar, o Evangelho de Cristo", explica o agricultor espanhol.

O ex-monge revela que levanta todos os dias às 3h30 da manhã e, com ajuda esporádica de sobrinhos e voluntários, constrói aos poucos sua grande obra, que, em grande parte, é formada por materiais reciclados, restos de demolição.

Atualmente, as duas principais torres da catedral estão com 30 m de altura e a ideia original de Justo Gallego é que chegue a 60. "Não há data prevista para a conclusão. Limito-me a oferecer ao Senhor todos os meus dias de trabalho. E assim eu vou, até o fim dos meus dias", completa o singelo agricultor.

O espanhol não revela, mas muitos acreditam que a obra seja dedicada a Nossa Senhora do Pilar, que é venerada na cidade de Zaragoza, que fica no nordeste da Espanha.

O mais curioso nessa história toda é saber que a catedral modesta, e ao mesmo tempo grandiosa, imaginada e construída por Justo Gallego Martínez, tenha sido instalada numa rua chamada Antonio Gaudí, artista que também responde por uma obra magnífica e inacabada: a Igreja da Sagrada Família, em Barcelona.

Últimas notícias

Comentários