Segundo estudo, bueiros podem ser focos de Aedes

Pesquisadores analisaram bueiros em cinco bairros de Salvador, e encontraram mosquitos em dois deles

por Encontro Digital 18/07/2016 12:06

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Lucas Pacífico/CB/D.A Press
(foto: Lucas Pacífico/CB/D.A Press)
Estudo liderado pelo pesquisador Guilherme Ribeiro, da Fiocruz Bahia, indica que a água acumulada no interior dos bueiros, também conhecidos como bocas de lobo, é foco do mosquito transmissor de enfermidades como dengue, zika e chikungunya, o Aedes aegypti. Para chegar a esta conclusão, pesquisadores e estudantes da Fiocruz Bahia, da Universidade Federal da Bahia (UFBA) e da Universidade de Emory (EUA) observaram o total de 122 bueiros, dos bairros de Brotas, Cabula, Piatã e Pituba, em Salvador, no período de março a julho de 2015, com o intuito de verificar com que frequência a água fica acumulada servindo como criadouro de mosquitos.

Os pesquisadores identificaram espécimes do mosquito Aedes, tanto adultos quanto em suas fases larvais, em bueiros de dois dos quatro bairros, sendo mais comum nas estruturas que também continham larvas de outras espécies de mosquitos, como a muriçoca (pernilongo comum). A presença do Aedes aegypti também foi mais frequente nas inspeções precedidas por período de pouca chuva. O Aedes albopictus, outro mosquito que também pode transmitir arbovírus, foi encontrado em bueiros de um dos bairros pesquisados.

De acordo com os especialistas, os achados são de grande relevância por chamar atenção para a necessidade de reorientação nos programas de prevenção e controle de arboviroses, já que as principais ações assumem que os focos de reprodução dos mosquitos transmissores de dengue, zika e chikungunya encontram-se nas residências e não nos ambientes públicos. Os resultados da pesquisa foram relatados em artigo que acaba de ser aceito para publicação na Parasites & Vectors, a mais conceituada revista científica internacional especializada no tema.

A equipe de pesquisadores está trabalhando em parceria com o Centro de Controle de Zoonoses do município de Salvador com o objetivo de ampliar o estudo, para saber a extensão do problema em outras áreas da cidade. Os resultados também ensejaram discussões intersetoriais no município, com o intuito de planejar ações de combate à proliferação do Aedes nos bueiros.

(com Agência Fiocruz)

Últimas notícias

Comentários