Há 40 anos, acidente de Niki Lauda em Nürburgring chocava o mundo

O piloto austríaco sofreu um grave acidente com sua Ferrari no Grande Prêmio da Alemanha de Fórmula 1 em 1976

por João Paulo Martins 01/08/2016 11:56

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Reprodução e Gillfoto/Wikimedia/Reprodução
Em 1976, na segunda volta do Grande Prêmio da Alemanha de Fórmula 1, o piloto austríaco Niki Lauda sofreu um gravíssimo acidente e chegou a ficar em coma (foto: YouTube/Reprodução e Gillfoto/Wikimedia/Reprodução)
Hoje consultor da equipe Mercedes (que conta com Lewis Hemilton e Nico Rosberg), o piloto austríaco Niki Lauda teve sua história na Fórmula 1 marcada não só pelos três títulos mundiais, mas sim, devido a um gravíssimo acidente que sofreu no dia 1º de agosto de 1976, numa curva do autódromo de Nürburgring, na Alemanha.

Assista, abaixo, ao chocante acidente que quase causou a morte do piloto:


Há 40 anos, na segunda volta do Grande Prêmio da Alemanha, a Ferrari pilotada por Lauda perdeu o controle, bateu contra o muro e rodou de volta para para a pista, totalmente em chamas. Socorrido, o piloto foi levado em coma para o hospital, com queimaduras de primeiro grau e os pulmões cheios de fumaça. Sua situação era tão grave que um padre chegou a conceder a extrema-unção. Porém, milagrosamente, Niki Lauda se recuperou e seis semanas após o acidente já estava de volta às pistas.

O austríaco, que já havia ganhado o título da F1 em 1975, tinha todas as chances de levar o troféu em 1976, até a fatídica prova de Nürburgring. Curiosamente, assim como aconteceu com Senna em 1994, Niki Lauda sabia dos riscos do autódromo alemão e chegou a pedir uma reunião com as autoridades e os pilotos da Fórmula 1, para que fosse suspensa a corrida. Porém, seus colegas de trabalho não concordaram com a ideia de suspender a prova.

No ano seguinte ao gravíssimo acidente, o piloto da Ferrari abocanhou seu segundo título. Mais tarde, em 1984, voltou a ser o melhor da F1, desta vez, correndo pela equipe inglesa McLaren.

Até hoje, Niki Lauda guarda no rosto as marcas do incêndio que quase o matou.

(com Agência Télam)

Últimas notícias

Comentários