Confira dicas para evitar afogamentos, como o que vitimou o ator Domingos Montagner

Morte trágica do protagonista da novela Velho Chico, da Globo, reacende o alerta para os riscos dos rios e corredeiras

por Marcelo Fraga 16/09/2016 18:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Tata Barreto/TV Globo/Divulgação
O ator Domingos Montagner morreu após se afogar no rio São Francisco, numa região com fortes correntezas e redemoinhos (foto: Tata Barreto/TV Globo/Divulgação)
Protagonista da novela Velho Chico, da Rede Globo, o ator paulistano Domingos Montagner, de 54 anos, chocou todo o Brasil após morrer nas águas do rio São Francisco, na divisa entre Sergipe e Alagoas. Ele estava passeando com a atriz Camila Pitanga – seu par romântico na novela –, durante um momento de folga das gravações. De acordo com o depoimento da atriz à polícia, ele foi sugado por um redemoinho que se formou no rio e, em seguida, foi arrastado pela correnteza.

A morte de Domingos Montagner reacende o alerta sobre os riscos de afogamento, sobretudo em rios e corredeiras, especialmente em locais desconhecidos pelas vítimas, como foi o caso do ator global. "Cerca de 80% das mortes por afogamento acontecem em locais onde não há a presença de salva-vidas. Outro fator que aumenta muito o risco é nadar em locais em que não se está familiarizado", destaca o sargento Benedito Eduardo Lima, do Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais.

Prevenção

Benedito Lima chama a atenção para áreas que podem ter a formação espontânea de redemoinhos, como o que sugou o ator Domingos Montagner. "Os redemoinhos se formam repentinamente, porque dependem da correnteza e do solo do rio. Isso pode acontecer a qualquer momento. Por isso, é importante que as pessoas estejam sempre atentas", esclarece o bombeiro.

Outro problema, de acordo com o especialista é a falsa impressão de calmaria dos rios. Segundo ele, a correnteza pode parecer fraca, quando, na verdade, está muito forte. Sendo assim, para que uma pessoa evite ser surpreendida pela força das águas, o sargento orienta que nunca se deve pular na água. O correto é entrar no rio de maneira gradativa, nunca deixando o nível da água passar da altura do umbigo.

Em relação a locais desconhecidos, o importante, segundo o sargento Benedito Eduardo Lima, é observar se existem placas alertando sobre possíveis perigos. Caso contrário, converse com pessoas que moram na região para obter informações que possam evitar uma tragédia.

Alerta

Um vídeo que está circulando nas redes sociais revela como os rios podem ser perigosos. As imagens mostram um praticante de caiaque quase se afogando ao ser sugado por um redemoinho. Confira o vídeo:


Dicas e cuidados com passeios no mar, nos rios, em piscinas ou cachoeiras:

  • Em embarcações, use sempre colete salva-vidas e nunca tire a proteção quando for mergulhar

  • Obedeça à sinalização de perigo

  • Mantenha distância de pedras

  • Nunca entre na água logo após as refeições, pois isso pode causar mal estar e perda de equlibrio

  • Não deixe crianças brincarem sozinhas na água

  • Procure um local conhecido e vá sempre acompanhado

  • Não faça uso de bebida alcoólica

  • Nunca se afaste da margem

  • Não pule das partes altas das cachoeiras

  • Não tente salvar pessoas que estejam se afogando sem possuir habilitação para isso

  • Prefira jogar flutuadores em caso de vítima de afogamento, ao invés de entrar na água para tentar salvá-la

  • Evite brincadeiras de mau gosto, como "caldos" e outros "trotes"

  • Acate as orientações dos bombeiros ou do salva-vidas

  • Em caso de emergência, ligue imediatamente para o Corpo de Bombeiros Militar, pelo número 193

Últimas notícias

Comentários