Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Alemã cria calção que protege a mulher contra estupro

Os chamados Safe Shorts podem ser considerados uma espécie de 'cinto de castidade' no nosso tempo


postado em 22/12/2016 17:06

Como forma de proteger as mulheres contra estupradores e maníacos, a empresa alemã TECOS GmbH, da cidade de Oberhausen, criou os chamados Safe Shorts (shorts seguros), que são peças de roupa íntima feitas com tecido resistente a rasgo ou corte e que possuem sistema de proteção para não serem retiradas à força.

A ideia por trás dessa espécie de "cinto de castidade do século XXI" é da empresária Sandra Seilz, que adora praticar caminhadas e corridas ao ar livre. "Por mais de um ano, durante as minhas corridas, sempre pensava em como criar uma calça que protegesse as mulheres contra estupradores", diz a alemã em entrevista para a agência russa de notícias Sputnik Alemanha.

Porém, um grave acontecimento foi decisivo para que Sandra pusesse em prática sua intenção de criar os Safe Shorts. Em 2015, numa de suas corridas, ela foi assediada por três homens, que a cercaram e tentaram tirar sua calça à força. Esse evento, juntamente com os ataques contra mulheres ocorridos na cidade de Colônia, na Alemanha, na véspera do rèveillon de 2015, foram a gota d'água para Sandra Seilz produzir os shots seguros.

"Eles oferecem tripla proteção contra ataques de natureza sexual, e nós estamos muito orgulhosos disso. Em primeiro lugar, a costura da peça de vestuário é resistente a rasgo e corte. O cordão que segura os shorts fica na altura da cintura da mulher e ele é protegido com um cadeado pequeno", explica a empresária alemã à Sputnik.

O terceiro sistema de proteção é acústico: se alguém tentar arrancar a calça, será acionado um sinal de alarme de 130 decibéis, o que pode espantar o maníaco. Este sinal pode ser ativado pela própria mulher, puxando o cordão do calção.

Segundo Sandra, os Safe Shorts são confortáveis e adequados para o uso diário, especialmente para as atletas amadoras. "Quando você se acostuma com ele, acaba sendo fácil de colocar e retirar, assim como qualquer outro calção", comenta a alemã.

Apesar de já estar recebendo pedidos pela internet, a empresária esclarece que o lote atual está esgotado e que os próximos produtos devem ser colocados à venda em até seis semanas. Além da Alemanha, Sandra conta que os shorts já foram adquiridos por mulheres no Japão, na Finlândia, na Suécia, na Itália, em Taiwan e nos Estados Unidos.

O modelo maior, para jogging, custa 149 euros (cerca de R$ 625), mas há outra opção, menor, uma espécie de calção com cintura baixa, por 99,99 euros (R$ 419).

(com Agência Sputnik)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade