Chineses criam painel solar que funciona também à noite

O equipamento consegue absorver tanto a luz visível quanto um espectro próximo ao infravermelho

por Encontro Digital 03/04/2017 13:29

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
O painel solar criado pelos cientistas chineses absorve não apenas a luz visível do Sol, o que o torna eficiente também à noite (foto: Pixabay)
Uma equipe de cientistas de duas universidades chinesas desenvolveu painéis solares capazes de gerar energia também em dias de baixa insolação, inclusive com chuva ou nevoeiro, e no período noturno, informa notícia publicada no jornal chinês Diário do Povo nesta segunda, dia 3 de abril.

"O objetivo é elevar a eficiência de conversão da luz direta até que volte a ter mais, gerando energia suficiente em condições de pouca luminosidade tais como chuva, nevoeiro, bruma ou à noite", diz o professor Tang Qunwei, da Universidade Oceânica da China, responsável pelo projeto, ao periódico.

Outra equipe liderada pelo professor Yang Peizhi, da Universidade Pedagógica de Yunnan, também participa do desenvolvimento das inovadoras placas solares, que, segundo a imprensa chinesa, podem representar uma "revolução fotovoltaica".

De acordo com a agência de notícias espanhola EFE, a principal inovação dos painéis é o uso de um novo material chamado LPP (Long Persistent Phosphors, ou fósforo de longa persistência, em tradução livre), que pode armazenar energia solar durante o dia para que seja utilizada à noite.

"Só a luz parcialmente visível pode ser absorvida e transformada em eletricidade, mas, o LPP pode armazenar energia solar a partir de luz não absorvida, próxima do espectro infravermelho, permitindo a geração de energia contínua de dia e de noite", esclarece Tang Qunwei.

Esses avanços foram publicados em revistas científicas dos Estados Unidos e da Europa, que destacaram a queda de custos que a energia solar poderia ter graças a esse tipo de painel.

Vale dizer que boa parte da energia consumida na China procede de combustíveis fósseis (carvão e petróleo), mas, ao mesmo tempo, a segunda economia mundial é o país com mais centrais solares instaladas, chegando a uma capacidade acima de 77 gigawats.

(com Agência EFE e Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários