Publicidade

Estado de Minas MEIO-AMBIENTE

Parque da Serra do Curral reabre após ser fechado pelo surto de febre amarela

A área de preservação tem cerca de 400 mil m² e possui diversas espécies típicas do Cerrado e da Mata Atlântica


postado em 30/05/2017 09:41

A população de Belo Horizonte e os turistas que visitam a cidade já podem comemorar: o parque da Serra do Curral, localizado no bairro Mangabeiras, região centro-sul da cidade, ja´está novamente aberto ao público. Ele ficou fechado desde o final de fevereiro por recomendação da secretaria municipal de Saúde, em função dos trabalhos de prevenção à febre amarela.

Segundo a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), durante o tempo em que ficou fechado, o parque recebeu manutenções regulares, como poda, capina e limpeza, e também pequenos reparos em suas estruturas, como troca de telas e melhorias no portão e na guarita.

A PBH informa que a Trilha Travessia da Serra do Curral, caminhada que percorre o alto do paredão da Serra ainda não tem previsão de ser retomada. A Fundação de Parques Municipais está realizando vistorias técnicas ao longo do percurso a fim de identificar necessidades para garantia da segurança dos usuários, bem como também efetuando estudos sobre o impacto ambiental no trajeto, onde foi localizada uma população de cactos da espécie Arthrocereus glaziovii, hoje ameaçada de extinção.

O parque

Espaço para contemplação, contato com a natureza e prática de atividades físicas, o parque da Serra do Curral foi inaugurado no dia 8 de setembro de 2012. Com a função primária de proteger a Serra do Curral, patrimônio nacional tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) e símbolo da capital, o parque oferece aos visitantes uma vista privilegiada da região metropolitana da capital mineira.

Localizado em uma área aproximada de 400 mil m², na avenida José do Patrocínio Pontes, o parque possui 10 mirantes distribuídos por seus 4 mil m de extensão, de onde o visitante pode identificar pontos turísticos da cidade e aspectos naturais de seu entorno, como a lagoa da Pampulha, o parque municipal Américo Renné Giannetti, a avenida Afonso Pena, o estádio Mineirão, o Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG, o Pico do Itabirito, a Serra da Piedade, o Morro do Pires, o Morro do Elefante, o parque estadual da Serra do Rola-Moça, dentre outros.

O número limite de visitantes no Parque da Serra do Curral é de 700 pessoas por dia. Atingido esse número, não é permitida a entrada de mais visitantes.

Flora e fauna

O parque apresenta formação típica do conjunto que compõe o Quadrilátero Ferrífero e está situado em uma região de transição entre a Mata Atlântica e o Cerrado. Sua cobertura vegetal é representada pelos campos rupestres, que ocorrem nas áreas rochosas da crista da serra e, principalmente, pelas fisionomias típicas do Cerrado, como o campo limpo, o campo sujo e o campo cerrado, que se sucedem gradativamente da crista até a base da serra. A Mata Atlântica é mais expressiva em áreas adjacentes à área de preservação, como o parque das Mangabeiras e a Mata do Jambreiro, constituindo assim um importante corredor ecológico de vegetação preservada.

A fauna do parque é também bastante diversificada e a avifauna é a mais representativa. Nele, foram identificadas mais de 125 espécies de aves: algumas endêmicas do Cerrado, como a campainha-azul, e outras comuns em regiões de montanhas, como águia-chilena, também encontrada na Cordilheira dos Andes. Carrapateiro, coruja-da-igreja, chorozinho-de-chapéu-preto e choca-da-mata são outras espécies encontradas. Em janeiro de 2012, o falcão-cauré (Falco rufigularis), nunca antes registrado em Belo Horizonte, foi identificado no parque por um grupo de observadores de aves durante uma visita técnica.

Serviço:

Endereço:
avenida José do Patrocínio Pontes 1.951, Mangabeiras (praça Estado de Israel), BH/MG
Funcionamento: de terça a domingo das 8h às 17h (horário de entrada até as 16h). Em condições climáticas adversas (tempestade, baixa visibilidade, ventos fortes, raios, risco de incêndios e deslizamentos), o parque pode ser fechado mais cedo
Entrada gratuita
Informações: (31) 3277-8120

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade