Publicidade

Estado de Minas CIêNCIA

Existe fundamento na teoria de que a Terra é plana?

Os chamados terraplanistas dizem que há uma conspiração para que as pessoas acreditem que a Terra é redonda


postado em 11/12/2017 08:35 / atualizado em 11/12/2017 09:18

Pode parecer loucura ou uma hipótese arcaica, mas, surpreendentemente, o movimento das pessoas que acreditam na teoria de que a Terra é plana vem crescendo em todo o mundo. Até mesmo celebridades dos Estados Unidos, como o rapper americano B.o.B. e os jogadores de basquete Kyrie Irving e Shaquille O’Neal embarcaram na "onda" e passaram a defender essa nova "doutrina".

No Brasil, o "movimento" também está ganhando força, principalmente pelo impulso adquirido nas redes sociais. No Facebook, por exemplo, podem ser encotnradas diversas páginas sobre o tema – a principal delas tem quase 95 mil seguidores. Existem ainda os usuários que aprofundam mais na discussão e participam de grupos fechados. O de maior destaque tem pouco mais de 6,4 mil membros.

Para se juntar a eles é preciso responder a algumas perguntas, como "Você consegue provar que a Terra é um globo, uma bola?"; "Você tem conhecimento de que o Sol e a Lua estão próximos da nossa Terra e 'dentro' da nossa atmosfera, [ou no firmamento] e são menores, bem menores que a Terra?".

Não existe consenso entre os terraplanistas, mas, em geral, os adeptos acreditam que há uma conspiração mundial envolvendo cientistas e agências espaciais para que todos acreditem que a Terra é esférica. Os seguidores dessa "teoria" polêmica reconhecem o disco circular, mas refutam a ideia de um globo. Para eles, a Terra é coberta pelo "firmamento", em formato de domo, e a Antártida ocuparia as bordas do planeta. Sol e Lua fariam seus percursos dentro deste espaço e seriam corpos muito menores do que acreditam os "globalistas".

Os terraplanistas também questionam a ideia do heliocentrismo (Sol como o centro do nosso Universo), a existência do espaço sideral e até mesmo a força da gravidade. Para os defensores dessa ideologia, outras variáveis são as causas de não sairmos voando pelo espaço, como densidade, flutuabilidade e magnetismo.

Os integrantes do grupo acusam, por exemplo, o Tratado da Antártida, assinado em 1959, de ser uma conspiração para ocultar a "verdade". Segundo membros do movimento, o acordo é tão rigoroso que um turista não pode nem dormir na Antártida, o que evita que a "mentira" seja descoberta.

O grande alvo dos terraplanistas talvez seja a Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), principal acusada de promover a teoria "globalista". Segundo alguns integrantes, a Nasa está envolvida em uma conspiração que falsifica viagens e explorações espaciais. Essa suposta artimanha teria começado durante a corrida espacial na Guerra Fria, quando a extinta União Soviética e os Estados Unidos travaram uma "disputa" pelo espaço sideral. Segundo os defensores da Terra Plana, cada país forjou suas conquistas.

Outros agentes são apontados como conspiradores pelos terraplanistas: instituições de ensino, a mídia e até os grandes nomes da ciência, como Albert Einstein, Nicolau Copérnico e Isaac Newton.

Boa parte dos terraplanistas segue a linha criacionista e nega a evolução proposta pelo naturalista britânico Charles Darwin. Os seguidores dessa "teoria" não possuem uma religião padrão, mas, geralmente acreditam na Bíblia e em antigas escrituras. Segundo eles, a única comprovação do globo seriam fotos da Nasa, o que pode ser contestado.

O que diz a ciência

A ideia de que a Terra possui o formato de um globo não partiu da Nasa. Essa concepção começou com o filósofo grego Aristóteles, a partir de observações das estrelas, da sombra do planeta durante eclipses lunares, entre outros fatores. Séculos mais tarde, entre 1519 e 1522, o português Fernão de Magalhães circunavegou o planeta, corroborando ainda mais com a teoria "globalista".

Depois disso ainda vieram as teses de Copérnico, Galileu Galilei, Johannes Kepler e Newton sobre a mecânica de posicionamento dos planetas no Sistema Solar. O físico e matemático inglês previu um achatamento da Terra nos polos, além de ter publicado, em 1687, a Lei da Gravitação Universal.

Palavra de especialista

Para o físico e astrônomo Renato Las Casas, professor e coordenador do Grupo de Astronomia da UFMG, não existe nenhuma fundamentação na teoria terraplanista. "Há séculos, nós sabemos que a Terra é redonda e temos provas muito fortes. Podem usar o argumento que for, mas é uma questão psicológica. Alguma coisa tem que acontecer para eles caírem na real", comenta o especialista.

Em relação a uma possível conspiração da Nasa, o astrônomo argumenta que atualmente vários países estão alistados no espaço além dos Estados Unidos, como a China, Índia e o Japão. Ele refuta a ideia de que todas essas nações se uniriam em prol de uma teoria da conspiração.

O professor da UFMG argumenta ainda que todos os outros planetas são esféricos e, com a Terra, não seria diferente. "Quando nós pegamos o telescópio do observatório a Serra da Piedade e apontamos para Saturno, por exemplo, vemos que o planeta é redondo. Marte também, assim como Júpiter e Vênus. Por que a Terra seria diferente?", questiona Las Casas.

Ao contrário do que dizem os terraplanistas, a teoria do globo não exclui a crença em um Deus, conforme destaca o especialista. "Essa ideia de Deus e ciência podem coexistir muito bem. Existem vários cientistas de peso que acreditam em Deus. Tudo depende da ideia que você tem de Deus", ressalta o astrônomo mineiro.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade