Em breve poderemos ter uma vacina contra a alergia ao amendoim

Estudo feito nos Estados Unidos conseguiu bons resultados em cobaias

por Marcelo Fraga 20/04/2018 08:09

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
A alergia ao amendoim é uma das mais comuns no mundo, de acordo com a ONG americana Fare (sigla para Food Allergy & Research Education), uma das mais importantes organizações não-governamentais dedicadas ao estudo e pesquisa de alergias alimentares. Infelizmente, ainda não existe cura para doenças desse tipo e, por enquanto, deixar de consumir o que causa a reação alérgica é a única solução.

Entretanto, no caso do amendoim, uma pesquisa recente realizada pela Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, desenvolveu uma vacina que, no futuro, pode ser capaz de tratar a intolência a essa leguminosa.

Segundo o site americano de notícias científicas Medical News Today, para a realização do estudo, que foi publicado no Journal of Allergy e Clinical Immunology, os pesquisadores fizeram com que o organismo de camundongos se comportasse como o de uma pessoa que tem a doença, desenvolvendo coceira na pele e obstrução respiratória após serem expostos ao amendoim.

Em seguida, os cientistas aplicaram nos roedores alérgicos uma dose mensal da vacina criada na universidade americana. O tratamento foi realizado durante três meses e, duas semanas após o término da profilaxia, observou-se que o organismo das cobaias não apresentava mais os anticorpos chamados IgE, que são responsáveis pela rejeição da proteína do alimento. Além disso, as células denominadas Th2, nos pequenos animais, não tinham mais a hiperatividade característica de quem sofre com a alergia ao amendoim.

Ou seja, a vacina os protegeu com sucesso e eles estavam curados. "Nossa vacina não apenas suprime a resposta negativa do organismo ao amendoim, mas também impede a ativação de células que iniciam as reações alérgicas", comenta a pesquisadora Jessica O'Konek, uma das responsáveis pelo estudo, em entrevista ao Medical News Today.

Testes em humanos

Ainda de acordo com o site, os cientistas americanos, agora, precisam avaliar qual é o tempo de proteção da nova vacina. Entretanto, as chances de que os benefícios sejam duradouros são boas. Feito isso, novas pesquisas serão realizadas para viabilizar os testes em humanos que tenham alergia ao amendoim, um dos alimentos mais consumidos no mundo e que é originário da América do Sul.

Últimas notícias

Comentários