Entenda a labirintite, que hospitalizou a cantora Ludmilla

A funkeira sentiu tonturas, que são um sinal do problema que afeta o ouvido

por João Paulo Martins 10/04/2018 17:12

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram/ludmilla/Reprodução
Tonturas, como as que levaram a cantora Ludmilla a ser hospitalizada, são um sinal do labirintite, que doença que afeta o ouvido interno (foto: Instagram/ludmilla/Reprodução)
Segundo o jornalista Leo Dias, que assina uma coluna no jornal carioca O Dia, a cantora de funk Ludmilla teria sido internada no hospital Santa Maria Madalena, na Ilha do Governador, região metropolitana do Rio de Janeiro, com sintomas de labirintite. "Recentemente ela vinha sofrendo com muitas tonturas", informa o colunista. Esse sintoma é muito comum em pessoas que sofrem com o problema que afeta o labirinto, estrutura do ouvido interno que é constituída pela cóclea (ajuda na audição) e pelo vestíbulo (ajuda no equilíbrio).

Segundo o portal do oncologista Drauzio Varella, processos inflamatórios, infecciosos e tumorais, doenças neurológicas, compressões mecânicas e alterações genéticas podem provocar crises como as da labirintite. "Ela se manifesta, em geral, depois dos 40, 50 anos, decorrente de alterações metabólicas e vestibulares [estrutura do ouvido]. Níveis aumentados de colesterol, triglicérides e ácido úrico podem acarretar alterações dentro das artérias, que reduzem a quantidade de sangue circulando nas áreas do cérebro e do labirinto", diz o site do famoso médico e escritor.

Hipoglicemia, diabetes, hipertensão, otites, consumo de álcool, cigarro, café e de certos medicamentos, entre eles, antibióticos, anti-inflamatórios, além de estresse e ansiedade são considerados fatores de risco para o surgimento do problema, que afeta o equilíbrio.

"Tonturas e vertigens associadas ou não a náuseas, vômitos, sudorese, alterações gastrintestinais, perda de audição, desequilíbrio, zumbidos, audição diminuída são os sintomas característicos da labirintite", afirma Drauzio Varella em seu portal. As crises podem durar minutos ou mesmo horas e dias, conforme a intensidade do problema no ouvido.

Como ocorreu com a funkeira Ludmilla, é necessário consultar um médico para que seja feito o diagnóstico correto, já que muitas outras enfermidades podem provocar os sintomas típicos da labirintite.

O tratamento do problema no ouvido interno pode ser feito com medicamentos vasodilatadores (facilitam a circulação sanguínea); labirinto-supressores (reduzem a tontura); anticonvulsivantes; antidepressivos; e antieméticos (reduzem a náusea).

Últimas notícias

Comentários