Publicidade

Estado de Minas CIêNCIA

Ser canhoto ou destro pode depender do peso logo após o nascimento

Estudo associa o tamanho do recém-nascido ao lado do corpo que ele irá usar


postado em 16/05/2018 14:24 / atualizado em 16/05/2018 15:00

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)
Um grupo de cientistas finlandeses, holandeses e japoneses concluiu que o peso da criança ao nascer pode influenciar se ela será uma pessoa que usa preferencialmente a mão e o pé esquerdo (canhoto) ou a mão e o pé direito (destro). O resultado dessa curiosa pesquisa foi publicado na revista científica Proceedings da National Academy of Sciences (PNAS).

Para realizar a investigação, pesquisadores da Universidade de Helsinki, na Finlândia, da Universidade Vrije, na Holanda, e da Universidade de Osaka, no Japão, avaliaram dois mil trigêmeos japoneses e holandeses. Em todos eles ficou constatado que o peso do bebê canhoto, ao nascer, era claramente menor do que o dos destros.

Análises anteriores já sugeriam que a predominância do uso do lado esquerdo era algo comum em gêmeos e trigêmeos, em comparação com gestação de um único feto. Além disso, os bebês "únicos" que nasciam prematuros tinham maior probabilidade de serem canhotos do que aqueles nascidos no período normal (entre 37 e 42 semanas de gravidez). Mas, essas investigações não mostravam se havia relação entre o uso de determinada parte do corpo e o parto prematuro ou o peso reduzido da criança.

"O peso de trigêmeos ao nascer costuma ser até 1,5 kg menor do que das crianças que vêm sozinhas. Portanto, os dados ajudam a fornecer uma configuração única para investigar o efeito do peso", comenta o pesquisador finlandês Kauko Heikkilä, um dos autores do estudo, em comunicado enviado à imprensa.

A pesquisa internacional também descobriu que o desenvolvimento motor dos canhotos – além da menor circunferência da cabeça – se mostrou mais reduzido em relação aos destros. No entanto, a conexão parece ser explicada principalmente pelo peso mais baixo ao nascer.

"Observar a ligação entre o lado dominante do corpo e o baixo peso do recém-nascido, em duas culturas diferentes, é particularmente convincente e melhora o nosso entendimento sobre a importância do desenvolvimento pré-natal em relação às habilidades e treinamento", afirma o neuropsicólogo finlandês Eero Vuoksimaa, que coordenou o estudo, no mesmo comunicado.

A estimativa da Organização Mundial de Saúde (OMS) é que uma em cada 10 pessoas em todo o mundo tenha tendência de usar a mão e o pé esquerdos.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade