Deixar as crianças sozinhas vendo TV pode ser um problema

Pais devem lidar com conteúdos inapropriados para os pequenos

por Da redação com assessorias 13/07/2018 12:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Atualmente, é quase impossível deixar as crianças livres de dispositivos conectados à internet ou mesmo dos aparelhos de televisão. A programação destinada a esse público é restrita a alguns canais da TV por assinatura. Com isso, a responsibilidade dos pais de educar os filhos em casa fica cada vez mais difícil.

Segundo a psicopedagoga Ana Regina Caminha Braga, as crianças chegam ao mundo e logo são apresentadas a uma "enxurrada" de inversão de valores. O que os pais lutam para construir dentro de casa e na escola, muitas vezes, a televisão consegue acabar em alguns minutos.

Às vezes, os filhos são deixados em frente à televisão sem que haja preocupação com o que está sendo transmitido, apenas usando aquele meio como uma "distração", o que, na opinião da especialista, pode ser ruim para a criança. "O nosso papel em casa e na escola é orientar. Se os pais ou responsáveis não estão em casa para acompanhar, e se há uma pessoa com as crianças, é o momento de instruí-la, ou dizer pelo menos o que é permitido ou não. É bem mais fácil deixar a criança ligar a televisão e esquecer do mundo, pois, assim, ela fica quieta", comenta a psicopedagoga.

No entanto, ao assistir a determinado programa, o pequeno reflete sobre o que vê, faz conexões com a sua realidade, abstrai os pontos positivos ou negativos daquilo que visualiza. Para Ana Regina Braga, a melhor maneira de lidar com essa situação é conversar com a criança e explicar qual é o objetivo daquele programa, fazendo com que ela "enxergue" a realidade. "Depois, evitar ao máximo o seu acesso a eles, deixando esse tempo para que a criança tenha oportunidade de desenvolver atividades que ajudem significativamente no aprendizado e na evolução", afirma a especialista.

Últimas notícias

Comentários