Publicidade

Estado de Minas MERCADO

Produção de cervejas artesanais na região metropolitana de BH ganha reconhecimento do governo de Minas

A região passa a fazer parte de um Arranjo Produtivo Local (APL) desse tipo de cerveja


postado em 18/07/2017 13:15

O governo de Minas Gerais, por meio da secretaria extraordinária de estado de Desenvolvimento Integrado e Fóruns Regionais (Seedif), passa a reconhecer o Arranjo Produtivo Local (APL) das cervejarias artesanais da região metropolitana de Belo Horizonte.

Tecnicamente, APL é um conjunto de empresas de um mesmo segmento produtivo, localizadas na mesma região, trabalhando de forma cooperada e sinérgica.

O secretário Wadson Ribeiro, da Seedif, explica que Minas Gerais possui cerca de 40 arranjos produtivos locais de vários setores, como gemas e joias, calçados, móveis e fruticultura.

"Minas Gerais é o segundo maior estado em volume de produção e em número de microcervejarias do Brasil. O arranjo potencializa a produção, favorece o comércio e a capacitação, além de gerar emprego. Também é um instrumento para o turismo da cidade", explica Wadson Ribeiro.

Segundo o secretário, a oficialização do APL auxilia, por exemplo, na compra de matérias-primas, de maquinário e na transação comercial entre os entes envolvidos. "Quando se tem um ramo importante como esse se desenvolvendo, gerando emprego, auxiliando no crescimento do turismo local, há também geração de renda para cidade, que significa mais emprego e uma vida melhor", ressalta.

Informações do Ministério da Agricultura apontam que Minas possui 61 microcervejarias registradas, 31 apenas na região metropolitana de Belo Horizonte. Dados do Sindicato das Indústrias de Cerveja e Bebidas em Geral do Estado de MG (SindBebidas) indicam que, mensalmente, são produzidos 1,5 milhão de l de cervejas artesanais em todo o estado. A previsão de crescimento do setor em 2017 é de 14%.

Para Cristiano Lamego, superintendente-executivo do SindBebidas, o reconhecimento do APL de cervejas artesanais pelo governo do estado deve fortalecer e impulsionar o setor. "O reconhecimento é o verdadeiro fator de transformação do nosso setor em um polo organizado e forte, sendo assim capaz de efetivamente gerar valor e, com isso, aumentar a competitividade de nossas cervejarias. Também é importante para a definição de políticas públicas adequadas a nossa realidade", comenta Lamego.

Ainda segundo o SindBebidas, estudos mostram o grande potencial do turismo aliado à produção de cerveja na grande BH. A instituição lembra que a capital mineira e seu entorno têm se notabilizado pela crescente oferta de bares e restaurantes especializados em cervejas artesanais, contribuindo com a difusão da cultura cervejeira e consequente aumento de mercado.

"A importância se deve pelo ato de, a partir de agora, estarmos inseridos num programa de Arranjos Produtivos Locais formal e, com isso, termos acesso a ações e políticas públicas que, de fato, atendam às demandas do nosso setor", afirma Cristiano Lamego.

(com Agência Minas)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade