Publicidade

Estado de Minas GASTRô | TENDêNCIA

Estabelecimentos vegetarianos e veganos crescem em Belo Horizonte

Conheça opções de bares, restaurantes e lanchonetes da capital mineira com cardápios de dar água na boca


postado em 16/08/2017 13:52 / atualizado em 16/08/2017 16:48

O empresário Klauss Tomich alinhou os negócios ao seu estilo de vida:
O empresário Klauss Tomich alinhou os negócios ao seu estilo de vida: "Eu conheci o vegetarianismo no Espírito Santo. Três anos depois me tornei vegano, voltei para BH e trouxe o Veganza Empório em 2016" (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Não faz muito tempo, quem não comia alimentos de origem animal sofria para encontrar alguma lanchonete ou restaurante com boas opções. Mas, de uns tempos para cá, esse panorama mudou. Uma excelente notícia para veganos e vegetarianos - que já são cerca de 15,2 milhões de brasileiros. E nada de comida insosa. As receitas são de dar água na boca e atraem inclusive quem come carne, mas quer variar o cardápio de vez em quando. Nutricionista e chef de cozinha funcional, Pâmela Archibusacci Sarkis explica que a adoção de uma alimentação mais limpa (para o meio ambiente), mais ética (para com os animais) e desintoxicante (para o organismo) é o que leva as pessoas a praticarem tanto o vegetarianismo quanto o veganismo. A mudança vai muito além da escolha do que se põe no prato. "Quando colocamos em foco a questão da sustentabilidade e da saúde, percebemos que o futuro do planeta depende da mudança para hábitos mais conscientes", diz. A partir dessa nova percepção, roupas, calçados e acessórios feitos à base de couro natural são substituídos por versões sintéticas. E marcas de cosméticos que realizam testes em seres vivos, gerando dor e sofrimento, são abolidas da lista de compras.

Nadando contra a maré, já que o Brasil é um dos principais exportadores de carne do mundo, e um dos maiores consumidores, pesquisa realizada em 2012 pelo Ibope aponta que 8% da população das principais capitais e regiões metropolitanas não inclui carne no prato. No topo dos lugares com maior índice de vegetarianos está Fortaleza (14%), no Ceará. Em Belo Horizonte, o percentual chega aos 9%. Segundo a Sociedade Vegetariana Brasileira, são 240 restaurantes vegetarianos e veganos em todo o país. E o mercado vem apontando um aumento na oferta de produtos e serviços. Na capital mineira já é possível encontrar empório, lanchonete e até açougue veganos. O empresário Klauss Tomich alinhou os negócios ao seu estilo de vida. "Eu conheci o vegetarianismo no Espírito Santo, onde morei. Três anos depois me tornei vegano, voltei para BH e trouxe o Veganza Empório, em 2016", diz. Para sua surpresa, apenas 10% do público é vegano e 30% vegetariano. O restante são os chamados onívoros, aqueles que se alimentam de tudo.

A empresária Valéria Zamaro Bonetti, da Venne Merceria e Açouque Vegano, diz que o segredo está no tempero:
A empresária Valéria Zamaro Bonetti, da Venne Merceria e Açouque Vegano, diz que o segredo está no tempero: "Começamos a fazer embutidos com sabor muito parecido aos originais e enxergamos um nicho de mercado" (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
O segredo está no tempero. É o que diz a empresária Valéria Zamaro Bonetti, da Venne Merceria e Açouque Vegano. Ao lado da filha, Laura Bonetti, ela fabrica produtos com alto teor proteico sem qualquer adição de carnes, corantes, conservantes ou derivados animais. "Minha filha sempre teve rejeição à carne e então começamos a fazer embutidos com sabor muito parecido, até que no final do ano passado enxergamos um nicho de mercado", diz. E garante que a jovem nunca sofreu carência de proteínas. A nutricionista Pâmela Sarkis salienta que não existem contraindicações na dieta, desde que seja bem ajustada. "O risco é um carnívoro se tornar vegano sem nenhuma orientação, pois, além da proteína, poderá ter deficiência de vitaminas e minerais", diz. Segundo ela, é possível, sim, obter proteínas suficientes consumindo vegetais, grãos e castanhas. "Para os veganos, também é indicada a suplementação de vitamina B12." Fora isso, os não carnívoros vão muito bem, obrigado. Estudo realizado pela Universidade de Oxford (Reino Unido) comprova que os vegetarianos têm 32% a menos de chances de morrer por problemas cardiovasculares, possuem baixos índices de massa corporal e menos diabetes. Entre as principais vantagens da dieta estão o alto consumo de fibras, que favorece o bom funcionamento do intestino, o aumento da defesa imunológica e a excelente função antioxidante.

Há seis anos, o empresário Fabiano Osório se tornou vegano. "Eu amava carne, queijo, omelete. Mas em questão de seis meses parei com tudo", lembra. O start dele foi o sofrimento infligido aos animais pela indústria da carne. "A indústria nos ensina a olhar apenas as calorias, e não os ingredientes consumidos e como são feitos." A falta de opção de ter onde comer o levou a abrir a lanchonete O Vegano, em meados de 2016, com seis opções de sanduíches. Em maio deste ano, BH também ganhou o seu primeiro gastrobar vegano, o Camaradería, com opções de almoço e happy hour. "Queremos ser uma opção para todos os gostos, proporcionando uma experiência gastronômica completa", diz o sócio Bruno Faria.

Conheça 10 locais de comida vegetariana e vegana na capital


Camaradería (gastrobar)

Rua Cláudio Manoel, 555, Funcionários. (31) 3646-4616

Fonte Restaurante (macrobiótico, vegano)
Rua dos Guajajaras, 619, Centro. (31) 3224-9630

Formoso Cozinha Natural (restaurante)
Rua Ouro Fino, 452, Cruzeiro. (31) 3889-8273

Las Chicas Vegan (restaurante)
Av. Augusto de Lima, 233, sobreloja 20, Centro. (31) 3309-3746

Restaurante Vegetariano Nascente
R. Paraguai, 86, Sion. (31) 3227-3781

San Ro (restaurante)
Rua Professor Moraes, 651, Funcionários. (31) 3264-9236

O Vegano (lanchonete)
Rua Santa Rita Durão, 985, Savassi. (31) 3261- 6524

Veganza - Empório Vegetariano
Rua Fernandes Tourinho, 363/08, Funcionários. (31) 3223-4292

Venne Merceria e Açouque Vegano
Rua Itajubá, 654, Floresta. (31) 2520-4739

VillaVeg Cozinha Natural (restaurante)
Rua dos Timbiras, 715, Funcionários. (31) 2515-3223

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade