Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Será que o chocolate ajuda a tratar a tosse?

A guloseima pode ser uma auxiliar para tratar esse problema do sistema respiratório


postado em 26/03/2018 09:25 / atualizado em 26/03/2018 09:42

Seja em decorrência de um resfriado, seja pelo tempo mais seco, a tosse é um problema que afeta o sono, irrita a garganta e prejudica a rotina de muita gente. Para resolver o problema, as pessoas costumam recorrer aos famosos xaropes disponíveis no mercado. Outras preferem usar receitas caseiras, como chá com mel e limão. Mas, será que comer chocolate também ajuda a expectorar? "O chocolate possui substâncias que, segundo estudos, podem beneficiar o funcionamento do sistema respiratório e nervoso central, amenizando os episódios de tosse", explica o otorrinolaringologista Cícero Matsuyama, do hospital CEMA, de São Paulo (SP).

Uma das substâncias presentes no cacau, a teobromina, possui, entre outras funções, o poder de ser um inibidor da tosse, em proporção maior do que muitos medicamentos à venda nas farmácias. Essa é uma conclusão de um estudo feito na Universidade Imperial College, de Londres, na Inglaterra. Outra pesquisa, desenvolvida pelo professor Alyn Morice, da Universidade de Hull, também na Inglaterra, e membro fundador da Sociedade Internacional de Estudos da Tosse, mostra que o chocolate pode ser melhor para acalmar as crises do que mel e limão, principalmente pela sua textura, ajudando a proteger as terminações nervosas da garganta.

No entanto, é preciso cautela no uso da guloseima como "medicamento" natural. Em alguns casos, o doce pode piorar a tosse, dependendo da causa. "É importante ter cuidado ao comer chocolate com essa finalidade, pois se o sintoma tiver origem em um problema como o refluxo gastroesofágico, o quadro piorará muito em intensidade", explica o médico. Segundo ele, o chocolate funciona bem quando a tosse acontece por irritação das vias respiratórias.

Além disso, não é todo tipo de chocolate que ajuda. A regra é que quanto maior o teor de cacau, melhor. Com relação à textura, o melhor é optar pelas barras, ao invés de chocolate líquido. Muito cuidado também com o excesso, pois o efeito pode ser o oposto do esperado.

Cícero Matsuyama lembra que o doce, sozinho, não faz milagres. O produto pode ser usado como coadjuvante, e não como tratamento. Casos de tosse devem ser investigados se durarem mais de três semanas. Alimentos líquidos, como chás, sucos, hidratantes isotônicos e água podem ser úteis também para fluidificar as secreções, diminuindo a quantidade de muco, bem como alimentos doces, quentes, caldas e xaropes caseiros, que diminuem a irritação na garganta, proporcionando alívio e diminuindo a frequência e intensidade da tosse.

"O chocolate é sabidamente um alimento que proporciona bem-estar emocional. Se utilizado de forma racional e correta, deve ser aproveitado pelas pessoas", comenta o otorrinolaringologista.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade