Publicidade

Estado de Minas GASTRô | BAR

Chef Léo Paixão comemora o sucesso do Nicolau

Ele transformou uma pacata esquina do Horto em um dos endereços mais desejados pelos boêmios. Seu bar atraiu mais de 7 mil pessoas em apenas um mês de funcionamento


postado em 10/05/2018 14:30 / atualizado em 10/05/2018 15:57

Projeto de Cristiano Sá Motta: a arquitetura industrial ganha objetos vintage como o
Projeto de Cristiano Sá Motta: a arquitetura industrial ganha objetos vintage como o "uai" escrito com sobras de letreiros antigos (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Uma das primeiras coisas que se vê ao entrar no Nicolau Bar de Esquina é um imenso "uai" feito com sobras de letreiros antigos. E talvez esteja aí a verdadeira essência do novo bar do premiado chef Leonardo Paixão, dono do Glouton. Se "uai" é uma interjeição que exprime espanto, surpresa, admiração ou susto, o Nicolau causa todas essas sensações. A começar pela arquitetura. Em um imóvel antigo restaurado pelos irmãos Raul e Gustavo Penna, o arquiteto Cristiano Sá Motta criou um espaço marcado por detalhes caprichados. Tem de tudo um pouco colorindo o ambiente em estilo industrial: geladeira dos anos 1940, balança de pé, latas chinesas, mesa dos Correios e até luminárias de palco vindas do Palácio das Artes. "Eu e o Cristiano somos alucinadamente detalhistas. Vamos tendo uma ideia em cima da outra e vira uma coisa sem fim", diz Leo.

Depois do primeiro ambiente, a casa se abre para um salão com uma mesa comunitária de aço revestida de ladrilhos. Mesinhas com poltronas no estilo Saarinen completam o espaço. A cozinha é totalmente aberta e ostenta um moderno forno alimentado a carvão, que pode chegar a 500 graus. De qualquer ângulo, os clientes assistem a movimentação dos cozinheiros. E o ritmo ali é louco. Até porque, desde que inaugurou, no início de abril, Leo tem feito ginástica para atender um público cada dia maior. Só no primeiro mês, a casa recebeu mais de 7 mil pessoas. É comum passar pela esquina das ruas Pouso Alegre e Gustavo Pena, no Horto, e ver uma fila de consumidores ansiosos para provar as receitas criadas por ele exclusivamente para o novo estabelecimento. "Estamos abrindo a parte de baixo do imóvel para servir como um local de espera", explica o chef, que também pretende alugar o espaço para eventos particulares.

O chef Leonardo Paixão criou um cardápio inédito para o Nicolau:
O chef Leonardo Paixão criou um cardápio inédito para o Nicolau: "Sirvo aqui comida caseira, aquela que eu gosto de comer" (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
A turma que enfrenta a fila não se arrepende. Leo transforma simples belisquetes em alta gastronomia. O cardápio foge de clichês e aparece recheado de boas ideias. "Sirvo aqui comida caseira, aquela que eu gosto de comer." Na parte dos petiscos, chama a atenção o torresmo de barriga com caramelo de missô, dedo de moça e cerefólio (R$ 23). Impresso no menu, a frase "coma com as mãos e seja feliz" evidencia que ali não é lugar para frescuras. Há xícaras esmaltadas, copos lagoinha, mesa sem toalhas... Exatamente como um boteco de raiz deve ser, mas sem perder certo charme contemporâneo. Sanduíches - verdadeiras paixões do chef -  também aparecem em versões diferentonas como o hambúrger na rosca de leite com requeijão de raspa, rúcula, cebola caramelizada na rapadura e molho defumado (R$ 23). São oito opções de pratos principais com preços que variam de 37 a 47 reais. O leitão, tutu, farofa e couve (R$ 45) aparece ao lado da costelinha de porco na brasa, picles de legumes em brunoise, canjiquinha cremosa com ora-pro-nóbis (R$ 37). Três sobremesas fecham o menu, todas a R$ 16: cheesecake de doce de leite com farofa de paçoca; torta de limão com merengue e torta de brigadeiro com praliné de café.

Os drinques merecem um parágrafo. Vai da tradicional caipirinha (R$ 17) a coquetéis batizados com nomes sugestivos, como o Me Joga na Parede (R$ 19), gim, licor de pêssego, suco de limão, Amaretto, Grenadine, sucos de abacaxi e laranja; e o Chá Mate Bum Bum (R$ 19), chá-mate, limão, açúcar e bourbon. Já para quem não dispensa uma boa cerveja, a Wäls criou um rótulo para o Nicolau no estilo belgian pale ale e, até o mês que vem, a casa também ganha uma pilsen exclusiva. Já a carta de vinhos conta com 30 rótulos, com preços que variam de 57 a 190 reais.

E para quem acha que mineiro não olha o que acontece por trás das montanhas, Leo prova que é exatamente o contrário. O sistema de pedido não poderia ser mais moderno. O cliente pode fazer o pedido e fechar a conta no próprio celular, usando o QR Code. "É a primeira vez que o sistema está sendo usado na gastronomia." Quando escuta algum cliente soltar a frase "nem parece que estou em Belo Horizonte", Leo tem a reposta na ponta da língua: "O Nicolau poderia estar em qualquer lugar do mundo, mas ele está, ou melhor, ele é de BH". Sorte a nossa.

Cardápio inédito: pratos que fogem do óbvio
Sablé com flor de sal, queijo de cabra fresco e abobrinha(foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Sablé com flor de sal, queijo de cabra fresco e abobrinha (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)

Torresmo de barriga com caramelo de missô, dedo-de-moça e cerefólio(foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Torresmo de barriga com caramelo de missô, dedo-de-moça e cerefólio (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)

Quiabos empanados com pó de bacon e camarão (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Quiabos empanados com pó de bacon e camarão (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)

Chá Mate Bum Bum: chá-mate, limão, açúcar e bourbon(foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Chá Mate Bum Bum: chá-mate, limão, açúcar e bourbon (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade