Quentes ou gelados, chás ganham espaço nos cardápios

Além disso, a bebida milenar inspira novos negócios

por Marinella Castro 19/06/2018 14:18

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ronaldo Dolabella/Encontro
(foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
O verde é terapêutico, o preto dá energia e o branco guarda os segredos da beleza. Existem chás ideais para relaxar, para manter a energia acesa ao longo do dia, para conter a ansiedade, para ajudar no alívio de dores musculares, para melhorar o sono ou simplesmente para saborear. Bem-vindo a uma terra de sabores inebriantes e aromas quase terapêuticos. Servida quente ou gelada, a bebida ganha espaço nos cardápios belo-horizontinos e casas que se dedicam com exclusividade às xícaras.

Na busca por encontrar seu sabor preferido, muitos se rendem de vez à bebida. Laisa Queiroz é um exemplo. Primeiro, ela se apaixonou pelos chás como consumidora. Depois, foi seduzida pelo mundo milenar e inaugurou um novo negócio e uma carreira como empreendedora. Dona da Tea Shop, franquia espanhola  especializada em chás, aberta há quatro meses no Pátio Savassi, Laisa conta que tudo começou com suas viagens pelo mundo. Ao lado do marido polonês, tomou gosto pela bebida e costumava comprar blends com sabores diferentes para presentear. "Eu percebia que os chás sempre agradavam muito, as pessoas gostavam", lembra. Antes de se tornar empreendedora no setor, a mineira tinha uma carreira pouco comum: era piloto na marinha mercante. Costumava  conduzir embarcações, como petroleiros de 200 metros de comprimento, em viagens nacionais e internacionais e por isso passava muitas semanas sem pisar em terra firme. "Quando me tornei mãe, quis experimentar um novo modelo de trabalho", diz. Pesquisei muito, até chegar à Tea Shop." O sócio de Laisa, Thiago Mello, é educador físico e foi atraído pelos benefícios que a bebida pode trazer à saúde.

Ronaldo Dolabella/Encontro
Andrea Oliveira abriu o Santo Chá, agora localizado no Lourdes: "O chá inspira a vida com um pouco mais de calma. A ideia é trazer bons sentimentos, como em uma casa de avó" (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Na Tea Shop os chás são vendidos a granel, mas também podem ser apreciados na própria loja. Percorrer as estantes é viajar por mais de 100 tipos da bebida. Abrindo as caixas perfumadas, Laisa vai explicando as características de cada produto, vindo de países como Japão, China, Sri Lanka.. Ela aponta suas cores, combinações e, por fim, o aroma. "Chás são como perfumes, cada pessoa tem o seu preferido", ensina. Em alguns casos, o cliente leva para casa gramas preciosos. Esse é o caso do raro chá-branco, colhido na China, dos brotos jovens da Camellia Sinensis. "Antioxidante, ele retarda processos de envelhecimento", diz Laisa. Três xícaras ao dia costumam ser uma boa medida para manter a juventude e a beleza. Enquanto 50 gramas de um chá mais simples custa a partir de 20 reais, os mesmos 50 gramas do valioso chá-branco custam 175 reais. Tem também o chá-verde japonês em pó, o matcha orgânico. "A plantação é toda coberta três semanas antes da colheita para potencializar os nutrientes."  O pote de 30 gramas custa perto de 170 reais.

Belo Horizonte tem boas opções para quem quer desfrutar do tradicional chá da tarde. A Chá Comigo, instalada há três anos em uma casinha no Santo Antônio, tornou-se endereço certo para quem curte a bebida. Laila Moreira e o sócio Mateus Faggioli estão à frente do negócio desde o fim do ano passado. Quando encontrou a loja, ela não teve dúvidas de que queria trocar a carreira no setor de mineração pelo empreendedorismo. A carta da casa é composta por 30 variedades da bebida, servida fria ou quente. O gerente, Arthur de Almeida, costuma explicar aos clientes um pouco sobre cada um. O seu chá preferido costuma ser o verde gelado com hortelã. "Essa combinação me dá uma energia muito boa para trabalhar", diz.

Ronaldo Dolabella/Encontro
Laila Moreira, dona da Chá Comigo, e o gerente, Arthur de Almeida: casa, no Santo Antônio, atrai público pelas opções da bebida e decoração old school (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
A casa com jeito descolado tem também cardápio de comidinhas, bolo do dia e tortas para acompanhar. A música vem de uma vitrola e o cliente pode escolher o disco de vinil que vai tocar. "Temos também uma estante de livros onde as pessoas deixam e levam os títulos de que mais gostam", afirma Laila. O espaço, que funciona todas as tardes e no sábado para brunch, está sempre movimentado e com fila de espera. A advogada e modelo Bárbara Torres experimentou o chá de rosa silvestre com amoras. E aprovou. "Nos dias de calor a bebida gelada é uma ótima opção." Ela também é fã do ambiente. "Aqui é bastante aconchegante, principalmente por causa da decoração old school." Sua amiga, a também advogada Isadora Leão, diz que a grande vantagem de casas como a Chá Comigo é a possibilidade de novas experiências. "Gosto principalmente das infusões, pois posso misturar tipos diferentes de ervas."

Dona da Santo Chá, no bairro de Lourdes, Andrea Oliveira explica que chás são apenas aqueles provenientes da folha da Camellia sinensis, cultivada largamente na Ásia. O que costumamos tomar no Brasil, como camomila, erva-doce ou hortelã, são as infusões. "Da camélia temos o chá-verde, branco, preto", ensina. Andrea decidiu abrir o negócio, inicialmente no bairro Santa Tereza, quando deixou as salas de aula da universidade onde ensinava marketing e disciplinas de comércio exterior. Na Santo Chá, ela apresenta, em uma bandeja, vidrinhos enfileirados com amostras de blends e infusões. Os clientes podem escolher pelo aroma. A casa, localizada na avenida Álvares Cabral, também tem opções de quitutes, bolos e sobremesas. Quem deseja entender mais sobre o mundo da bebida e seus rituais pode participar de workshops. "O chá inspira a vida com um pouco mais de calma, com menos pressa", diz Andrea. "A ideia é trazer bons sentimentos, como em uma casa de avó."

Dicionário dos aromas

  • Chás -  provenientes das folhas da planta Camellia sinensis, cultivada em larga escala em países como China, Sri Lanka, Japão, Índia e Vietnã

  • Blends - geralmente misturam à bebida sabores e aromas dos mais diversos, de flores e frutas às especiarias

  • Infusões - levam ingredientes como o alecrim, a valeriana, ou hibisco e não são derivadas da Camellia sinensis

Algumas das cores do chá

  • Verde - com efeito diurético, é um potente antioxidante

  • Preto - para quem busca energia para as atividades do dia. É indicado no café da manhã e no meio da tarde

  • Azul ou oolong - variedade digestiva e aromática

  • Vermelho - tem sabor terroso e é famoso por suas propriedades detox e depurativas

  • Branco - conhecido como o chá da beleza, é a variedade mais delicada, aromática, e tem poder antioxidante

Últimas notícias

Comentários