Publicidade

Estado de Minas SAúDE

Se você não tem costume de praticar exercícios, precisa maneirar

Na ânsia de praticar esporte, os chamados atletas de fim de semana abusam de atividades físicas como corrida e futebol. Mas é bom ter calma: as consequências podem ser graves


postado em 06/01/2015 17:00

Fim de semana e a galera se reúne para bater aquela pelada no campo de futebol. Outros se aventuram nas quadras de vôlei ou peteca, e alguns se arriscam a pedalar ou dar uma corridinha básica. De repente, um movimento brusco, um esforço mal calculado, uma pisada descuidada e lá se vão dias de molho para recuperar o prejuízo. As chamadas lesões musculotendinosas são frequentes, especialmente nos atletas amadores que não praticam atividade física regularmente. Algumas delas requerem tratamento cirúrgico, a exemplo da ruptura do tendão calcâneo, popularmente conhecido como tendão de aquiles.

“De modo geral, as vítimas são indivíduos que se envolvem em acidentes banais praticando alguma atividade física para a qual não estão devidamente preparados”, explica Jorge Suman Vieira, médico ortopedista especializado em esportes.

O analista Anderson Pinho da Matta sofreu um desgaste muscular na coxa:
O analista Anderson Pinho da Matta sofreu um desgaste muscular na coxa: "Como não tenho tempo, só pratico esporte no fim de semana. Mas forcei muito" (foto: Alexandre Resende/Encontro)


No vôlei e na peteca, as lesões na coluna e ombros são mais comuns. Na corrida e bicicleta, as distensões nos joelhos e tornozelos são recorrentes. E, no futebol, os estiramentos ou ruptura dos ligamentos são os campeões. “O desequilíbrio muscular é o fator preponderante para a ocorrência dessas lesões, especialmente em atletas amadores e com sobrepeso”, diz Suman.

Adepto do triatlo, recentemente o analista de negócios Anderson Pinho da Matta, de 25 anos, sofreu um desgaste muscular na coxa. “Como não tenho tempo durante a semana, costumo praticar atividades físicas nos fins de semana. Mas dessa vez forcei muito e tive de ficar de repouso.” Segundo pesquisa realizada pela American Medical Association (JAMA), a incidência de problemas cardíacos nos atletas de fim de semana é quase três vezes maior em relação a quem não pratica esporte, podendo levar à morte súbita.

Após seis meses parado, Tito Gualberto decidiu voltar a praticar esportes.
Após seis meses parado, Tito Gualberto decidiu voltar a praticar esportes. "Acabei pisando errado e sobrecarregando o músculo do pé. Só melhorou com fisioterapia" (foto: Alexandre Resende/Encontro)


“Não existe risco zero, mas, a longo prazo, a realização de exercícios regulares diminui a mortalidade e o risco de infartos e problemas cardiovasculares”, explica o médico cardiologista Marconi Gomes da Silva. Segundo ele, em atividades que demandam grande gasto energético, sobretudo movimentos súbitos e de explosão muscular, como tiros de corrida, sprints – provas rápidas e de alta cognição – e subidas íngremes, é necessário preparar o corpo com antecedência. “Para minimizar os riscos osteomusculares e cardiovasculares, o ideal é evoluir a capacidade física de forma gradativa.”

O ex-atleta Tito Heringer Gualberto, de 24 anos, estava habituado à prática de esportes. Durante muito tempo jogou basquete – mas, após seis meses sem treinar, sofreu uma grave lesão muscular. “Decidi voltar a correr e, como forcei demais, acabei pisando errado e sobrecarregando o músculo do pé. Só melhorou com fisioterapia. Hoje, estou mais consciente dos meus limites”, diz. Especializado na área esportiva, o fisioterapeuta Bernardo Savassi alerta para outro problema recorrente na prática de atividades físicas sem preparo: a conhecida dor muscular do dia seguinte. “É aquela dor generalizada na musculatura que surge em consequência de microlesões que, às vezes, demoram até três dias para melhorar”, diz.

Cuidados com os excessos:

  • Nada de praticar exercícios apenas nos fins de semana. Sem o devido condicionamento físico, as lesões podem ser sérias

  • Entre as lesões mais frequentes estão distensões, estiramentos e rupturas de ligamentos

  • A incidência de problemas cardíacos é quase três vezes maior nos atletas de fim de semana e pode levar à morte súbita

  • Para não ter problemas, o ideal é praticar atividades físicas regulares três vezes por semana, por pelo menos 30 minutos

  • Consulte sempre um profissional da área antes de iniciar qualquer atividade física

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade