Publicidade

Estado de Minas GASTRONOMIA

Na Mesa, por Carolina Daher

Odoyá, Casa Umbigo, T. T. Burger, Legítimo Rocambole e Mama Café


postado em 05/12/2023 00:55

Gostinho de praia

(foto: Matheus Andrés/Divulgação)
(foto: Matheus Andrés/Divulgação)
Pode ir de chinelo. Até porque a ideia do Odoyá é levar o belo-horizontino para pertinho do mar. Em um ambiente descontraído, o restaurante - novo empreendimento do chef Yves Saliba, do festejado Per Lui, - é para quem quer apreciar uma boa refeição sem grandes complicações. E o cardápio segue a mesma onda. "Trazemos uma comida cheia de cores e sabores, com técnica e apresentação, mas também de um jeito informal", explica Yves, que divide a sociedade com os irmãos Victor Hugo e Giovanni Barcelos. Os pratos principais, aparecem como "da água" e "da terra".  No primeiro time, tem o peixe na brasa com cuscuz de coco tostado, dashi de tomate e mix de folhas (R$ 68) e, no segundo, o arroz bomba de camarão com colágeno de leitão, copa laqueada no teriaki e couve manteiga (R$ 60). De sobremesa, o tropical crème brulée de coco com gelato de manga feito na casa (R) é de comer rezando.

Tudo por aqui é vegano

(foto: Lissa Pontes Fotografia/Divulgação)
(foto: Lissa Pontes Fotografia/Divulgação)
Três marcas se uniram para criar a Casa Umbigo: a Doce Gêmea, a Lila Vegui e a Luvitá, comandadas por Karim Amaral, Lilian Borges e Diego Viana, respectivamente. "O cardápio é assinado por nós três. Trouxemos os produtos de nossas marcas para compor o menu, além de outros que criamos depois que a empresa nasceu", explica Diego. Localizada em um imóvel tombado, de 1936, na boêmia Santa Tereza, a Casa Umbigo aposta em receitas que tenham o vegetal como protagonista. O prato mais pedido é o Pão de Beijo Recheado, preparado com batata doce, azeite, polvilho, gergelim, castanha de caju, cogumelo ostra, e chimichuri (R$ 49, com 4 unidades). Dá também para fazer encomendas de bolos decorados. O Rafaello é feito de baunilha e recheado com coco e amêndoas (a partir de R$ 190, para 15 pessoas). O espaço é aberto para receber pequenos eventos, como aniversários, casamentos e batizados.

Sanduba de grife

(foto: Divulgação)
(foto: Divulgação)
O novo hambúrguer da cidade tem como sobrenome Troisgros. O T. T. Burger é uma rede carioca comandada pelo chef Thomas Troisgros, filho do também chef e apresentador Claude Troisgros. Depois de abrir unidades em São Paulo e no Espírito Santo, a sanduicheria se instalou na Savassi. "Sou fã declarado da comida mineira, além da hospitalidade do seu povo. O mineiro acolhe você como se fosse da família", diz Thomas. "E o T. T. tem isso, a cultura do encantamento. Por isso, acredito que foi um casamento de tanto sucesso em tão pouco tempo." O cardápio é o mesmo das lojas cariocas. O carro-chefe é o hambúrguer que leva o nome da casa, preparado com um blend de 180 g de angus premium, queijo Minas meia cura, alface, tomate, picles de cebola roxa e molho da casa no pão de batata (R$ 54). O Siriju é a proposta vegana e vem com burguer feito com carne de fibra de caju temperado com dendê, mix de pimentas, cebola e coentro (R$ 54). Para acompanhar, Batatas do Thomas (R$ 22): chips marinados em vinagre antes de serem fritos.

Um verdadeiro patrimônio

(foto: Pádua de Carvalho/Encontro)
(foto: Pádua de Carvalho/Encontro)
Foi lá no século passado, mais precisamente em 1907, que o casal Dolores e Miguel abriu um pequeno comércio em Lagoa Dourada, a 153 quilômetros da capital. Entre os muitos pratos servidos estava o rocambole, receita que eles trouxeram do Líbano, seu país de origem. E logo o tal rocambole caiu na boca do povo. Virou a estrela da casa, que foi rebatizada como O Legitimo Rocambole. Com duas unidades no Campo das Vertentes, o estabelecimento acaba de chegar a BH, com uma loja na Savassi. "Era um sonho antigo vir para cá", diz o sócio André Youssef Carazza do Líbano. Por aqui, os clientes encontram mais de 30 tipos de recheios, entre tradicionais e especiais. "Mais de 90% das vendas é o de doce de leite", diz. Os preços variam, mas o recheado (com muito!) doce de leite pode ser comprado inteiro (R$ 62), meio (R$ 31,50) e fatia (R$ 16). Ah! E lembrando: o modo de fazer do doce é tombado como patrimônio imaterial municipal e Lagoa Dourada é, por lei, a Capital Nacional do Rocambole.

Café e arte

(foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)
A Galeria de Arte Mama Cadela, que existe desde 2004, em Santa Tereza, agora tem um brunch para chamar de seu. O Mama Café funciona aos finais de semana, das 9h30 às 15h, em um charmoso jardim. O menu é assinado pela chef baiana Nanda Andrade e é recheado de comidinhas inspiradas em viagens e memórias. Como é o caso do Cuscuz Eu Vim da Bahia, acompanhado de banana-da-terra grelhada, ovo caipira e leite de coco (R$ 24). O cliente ainda pode acrescentar queijo coalho e legumes assados. "Com o tempo, conhecendo melhor o público, a ideia é incorporar outras receitas da minha terra", diz a chef. Dá para provar também clássicos de outros continentes. O Croque Madame Caipira é uma versão do tradicional prato francês preparado com pão de milho recheado com queijo e lombo defumado, coberto com molho bechamel de milho e ovo com gema mole (R$ 37).

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade